Repositório Digital

A- A A+

Efeitos da rugosidade de substratos, distúrbios físicos e organismos pastejadores na estruturação de assembleias de algas bênticas e na biomassa perifítica em um riacho subtropical : uma abordagem experimental

.

Efeitos da rugosidade de substratos, distúrbios físicos e organismos pastejadores na estruturação de assembleias de algas bênticas e na biomassa perifítica em um riacho subtropical : uma abordagem experimental

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos da rugosidade de substratos, distúrbios físicos e organismos pastejadores na estruturação de assembleias de algas bênticas e na biomassa perifítica em um riacho subtropical : uma abordagem experimental
Autor Schneck, Fabiana
Orientador Melo, Adriano Sanches
Co-orientador Schwarzbold, Albano
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Ecologia.
Assunto Algas bênticas
Perifíton
[en] Benthic algae
[en] Disturbance
[en] Diversity
[en] Electrical exclusion
[en] Grazers
[en] Habitat heterogeneity
[en] Nestedness
[en] Periphyton
[en] Persistence
[en] Refuges
[en] Roughness
[en] Streams
[en] Temporal variability
Resumo Os estudos apresentados nesta tese tiveram como objetivo compreender aspectos da organização de assembleias de algas bênticas em riachos. Foi avaliado especificamente o efeito da heterogeneidade de habitat na escala de rugosidade de substratos e sua interação com distúrbios hidrológicos e organismos pastejadores (grazers). Utilizou-se uma abordagem experimental in situ com substratos lisos e rugosos (com fendas) constituindo os tratamentos. Os experimentos foram conduzidos no Rio do Marco, um riacho de quarta ordem na região dos Campos de Cima da Serra, em São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul. Após uma introdução geral acerca do assunto são apresentados os capítulos com os estudos. O Capítulo 1 avaliou os efeitos da rugosidade de substratos sobre a riqueza de espécies, densidade, composição e padrões de distribuição de assembleias de algas bênticas. Assembleias em substratos rugosos foram mais ricas que assembleias em substratos lisos, porém esse resultado diferiu entre grupos com diferentes formas de vida, assim como as diferenças na composição de espécies, indicando que somente alguns grupos foram beneficiados pela ocorrência de refúgios em substratos rugosos. Observou-se também que diferenças na composição da assembleia entre substratos lisos e rugosos resultaram de aninhamento e substituição de espécies. No Capítulo 2 foi testada a hipótese de que substratos rugosos abrigam assembleias mais persistentes que substratos lisos. Os resultados encontrados confirmaram esta hipótese e foram atribuídos ao efeito da rugosidade per se após a exclusão de alguns fatores de confundimento, como estabilidade física dos substratos e diferenças na riqueza de espécies. Concluiu-se que o mecanismo mais plausível para explicar a maior persistência em substratos rugosos é a maior disponibilidade de refúgios em relação a substratos lisos. O objetivo do Capítulo 3 foi avaliar o efeito da rugosidade de substratos sobre assembleias de algas frente a um distúrbio hidrológico experimental, testando especificamente se a resistência e a resiliência de algas é maior em substratos rugosos que em substratos lisos e se a resposta de diferentes formas de vida é distinta. Os resultados indicaram que a rugosidade de substratos não apresenta efeitos pronunciados sobre a resistência e a resiliência de algas bênticas. Porém, grupos de algas com distintas formas de vida diferiram quanto à resistência e resiliência, de forma que o padrão observado está relacionado a atributos biológicos que conferem habilidades para suportar distúrbios. Os resultados deste estudo em conjunto com os resultados obtidos no Capítulo 2 e resultados obtidos por outros autores permitiram que fosse proposto que a importância da heterogeneidade de habitas e de refúgios é mediada pela intensidade de distúrbios. No Capítulo 4 foram avaliados os efeitos independentes e as interações de rugosidade de substratos, peixes pastejadores e tipos de mesohabitats (corredeiras e remansos) sobre a biomassa algal, matéria orgânica e peso seco total. O efeito de peixes pastejadores não foi mediado pelos mesohabitats, sendo que a exclusão de peixes causou aumento nas três variáveis resposta, independente do tipo de mesohabitat. Por outro lado, houve uma interação entre mesohabitats e substratos para determinar o acúmulo de peso seco total, sendo que substratos rugosos acumularam maior quantidade de material em remansos que em corredeiras, enquanto substratos lisos acumularam quantidades similares entre os dois tipos de mesohabitats. Já a biomassa algal e matéria orgânica apresentaram maior acúmulo nos substratos rugosos em relação aos lisos, independente do mesohabitat. Os resultados encontrados indicam que a perda de organismos pastejadores pode afetar o acúmulo de biomassa algal e material orgânico, importantes recursos alimentares em riachos. Finalmente, na última seção são apresentadas as considerações finais.
Abstract The studies presented in this thesis aimed at understanding some aspects of the organization of benthic algal assemblages in streams. Specifically, the studies evaluated the effect of habitat heterogeneity on the scale of substrate roughness and its interaction with hydrological disturbances and grazing organisms. An experimental in situ approach was used, in which the treatments were constituted by smooth and rough (with crevices) substrates. The experiments were conducted in the Marco River, a fourth-order stream at the region of Campos de Cima da Serra, São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul, Brazil. After a general introduction on the subjects of this thesis, the chapters with the studies are presented. The Chapter 1 describes a study to evaluate the effects of substrate roughness on species richness, density, composition and distribution patterns of benthic algal assemblages. Algal assemblages on rough substrates were richer than on smooth substrates, but this result differed among algal life forms. Similarly, results on species composition also differed among life forms, indicating that only some groups were benefited by the occurrence of refuges on rough substrates. It was also observed that differences in the composition of assemblages between rough and smooth substrates resulted from nestedness and turnover. The Chapter 2 describes a study in which was tested the hypothesis that rough substrates harbor more persistent assemblages than smooth substrates. The results confirmed this hypothesis and were attributed to the effect of roughness per se after the exclusion of some confounding factors, such as the physical stability of substrates and differences in species richness. It was concluded that the most plausible mechanism that could explain the higher persistence in rough substrates is the greater availability of refuges in relation to smooth substrates. The main aim of the study described in Chapter 3 was to evaluate the effect of substrate roughness on algal assemblages in the face of an experimental hydrological disturbance. Specifically, it was tested if the resistance and resilience of algae is higher on rough than on smooth substrates and if algal life forms differ in their response to disturbance. The results indicated that substrate roughness had no pronounced effects on benthic algal resistance and resilience. However, algal life forms differ in their resistance and resilience, and the observed pattern was mostly related to biological traits that confer abilities to support disturbances. The results of this study, in addition to the results obtained in Chapters 1 and 2, allowed us to suggest that the importance of habitat heterogeneity and refuges is mediated by the intensity of disturbances. The Chapter 4 describes a study that evaluated the independent and interacting effects of substrate roughness, grazing fish and mesohabitats (pools and riffles) on algal biomass, organic matter and total dry mass accrual. The effect of grazers was not mediated by mesohabitats, and their exclusion caused an increase in the three response variables, regardless of mesohabitat. On the other hand, mesohabitats and substrates interacted to determine the accrual of total dry mass, since rough substrates accumulated greater amounts of dry mass in pools than in riffles, while smooth substrates accumulated similar amounts in both mesohabitats. Algal biomass and organic matter showed greater accrual on rough than on smooth substrates, independently of mesohabitat. These results indicate that the loss of grazers may affect the accrual of algal biomass and organic matter, which are important food resources in streams. Finally, in the last section are presented the concluding remarks.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/49267
Arquivos Descrição Formato
000824797.pdf (686.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.