Repositório Digital

A- A A+

Helmintos parasitos como ferramenta para a identificação de estoques de Pontoporia blainvillei (Cetacea: Pontoporiidae) (Gervais & d'Orbigny, 1844) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul

.

Helmintos parasitos como ferramenta para a identificação de estoques de Pontoporia blainvillei (Cetacea: Pontoporiidae) (Gervais & d'Orbigny, 1844) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Helmintos parasitos como ferramenta para a identificação de estoques de Pontoporia blainvillei (Cetacea: Pontoporiidae) (Gervais & d'Orbigny, 1844) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul
Autor Silva, Daniela Hoss da
Orientador Ott, Paulo Henrique
Co-orientador Valente, Ana Luísa
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Ênfase em Biologia Marinha e Costeira: Bacharelado.
Assunto Helmintos parasitos
Odontoceti : Golfinhos : Pontoporia blainvillei
Rio Grande do Sul, Litoral norte
[en] Biological markers
[en] Brazil
[en] Northern coast of Rio Grande do Sul
[en] Parasitic helminths
[en] Pontoporia blainvillei
[en] Stocks definition
Resumo A comunidade componente de helmintos parasitos de toninha, Pontoporia blainvillei, do litoral norte do Rio Grande do Sul (RS), sul do Brasil, foi investigada a fim de auxiliar na identificação de estoques populacionais da espécie. Os helmintos esofágicos e gástricos de um total de 55 indivíduos hospedeiros foram analisados. Em adição, foram investigados os helmintos presentes no trato intestinal de quatro espécimes. As toninhas provieram de capturas acidentais em redes de pesca ou de encalhes, entre as localidades de Torres e Tavares, no período de 1993 a 2010. Seis espécies parasitas foram encontradas: Synthesium pontoporiae (Brachycladiidae), Corynosoma cetaceum e Bolbosoma turbinella (Polymorphidae), Anisakis typica e Raphidascaris sp. (Anisakidae), além de um trematódeo não identificado. No estômago, a espécie com maior prevalência no estômago principal (EP) foi C. cetaceum; para o estômago pilórico (EPIL), S. pontoporiae. As espécies A. typica e S. pontoporiae se distribuíram ao longo destes dois compartimentos gástricos, o primeiro preferencialmente no EP e o segundo, no EPIL. Calculou-se a prevalência, a intensidade média de infecção, a abundância média e a variação da intensidade de infecção. No presente estudo, estes índices apresentaram diferenças na estrutura da comunidade parasitária em relação aos previamente realizados no litoral sul do RS. A prevalência de A. typica foi menor na região norte do Estado, porém com intensidade média de infecção mais alta. Não foi verificada a ocorrência de sua congenérica A. simplex, já identificada em águas argentinas neste hospedeiro em outras áreas de sua distribuição. O acantocéfalo C. cetaceum apresentou prevalência e intensidades médias de infecção no norte do RS com valores bem inferiores àqueles citados para a região sul, corroborando a hipótese de uma variação latitudinal significativa na distribuição de C. cetaceum no Atlântico Sul Ocidental. Os padrões de infecção de S. pontoporiae e de B. turbinella foram também inferiores aos do sul do Estado, sendo que B. turbinella não foi encontrado no intestino grosso, seu sítio preferencial. Na região norte do RS, também não foi encontrado C. australe, já identificado no sul do Estado. Dentre todos parasitos encontrados, S. pontoporiae e C. cetaceum parecem ser ótimos marcadores biológicos. Dadas as diferenças encontradas entre os litorais norte e sul do RS, os resultados obtidos sugerem uma diferenciação ecológica entre as regiões do Estado. Contudo, a fim de melhor compreender o grau de diferenciação ecológica entre estas regiões, é importante a análise do trato digestivo completo de um maior número de espécimes, bem como a investigação de parasitos localizados em outros órgãos.
Abstract The component parasitic fauna of franciscana Pontoporia blainvillei in the northern coast of Rio Grande do Sul (RS), southern Brazil, was investigated in order to contribute to the stock identification of the species. The esophageal and gastric helminths from 55 specimens were analyzed. In addition, the helminths occurring in the intestine of four animals were also included in the analysis. The dolphins studied were accidentally caught in gillnets or were found dead stranded, between the localities of Torres and Tavares, from 1993 to 2010. Six parasite species were found: Synthesium pontoporiae (Brachycladiidae), Corynosoma cetaceum (Polymorphidae), Anisakis typica and Raphidascaris sp. (Anisakidae), Bolbosoma turbinella (Polymorphidae) and an unidentified trematode. C. cetaceum and S. pontoporiae showed the highest prevalences for the main stomach (EP) and for the pyloric stomach (EPIL), respectively. A. typica e S. pontoporiae were found in both compartments, although the first species infested mainly the EP and the second the EPIL.The parasitological index showed differences in the community structure between the present study and those previously realized in the southern coast of RS. The prevalence of A. typica was lower in the northern region, but with a higher mean intensity of infection. It was not found its congeneric species A. simplex, which has been identified in Argentinean waters. The prevalence and mean intensity of infection of C. cetaceum in northern coast were lower than in the southern region. These findings corroborate the hypothesis of a significant latitudinal variation in the distribution of C. cetaceum in the Southwest Atlantic. The infection pattern of S. pontoporiae and B. turbinella in this study were also lower than those from the southern coast of RS, whereas B. turbinella was not found in the large intestine, its preferred site. C. australe was not found in the northern coast, although it has been identified in the southern region of the RS. Among the parasites collected, S. pontoporiae and C. cetaceum seem to be very useful biological markers. Given the differences between the northern and southern coasts of RS, the results suggest an ecological differentiation between these two regions. However, to a better understanding of the ecological differentiation between the two areas, it is important to analyze the complete digestive tract of a greater number of individuals, as well as the parasitic fauna of other organs.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/49708
Arquivos Descrição Formato
000786557.pdf (1.002Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.