Repositório Digital

A- A A+

Qualidade do sono, das relações sociais e da saúde, de acordo com a percepção dos trabalhadores em turno e noturno

.

Qualidade do sono, das relações sociais e da saúde, de acordo com a percepção dos trabalhadores em turno e noturno

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Qualidade do sono, das relações sociais e da saúde, de acordo com a percepção dos trabalhadores em turno e noturno
Autor Bento, Paulo Cesar Barauce
Orientador Guimaraes, Lia Buarque de Macedo
Data 2004
Nível Mestrado profissional
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Mestrado Profissionalizante em Engenharia.
Assunto Ergonomia
Qualidade de vida
Trabalho noturno
[en] Evening/morning
[en] Health
[en] Shiftwork
[en] Sleep quality
[en] Social relations
Resumo O presente estudo trata da organização dos horários de trabalho em turnos fixos, analisando seu impacto na qualidade do sono, na utilização do tempo livre pelo trabalhador e de aspectos relacionados à sua percepção quanto à saúde. A pesquisa foi realizada com auxiliares do setor de impressão e acabamento de uma gráfica e editora localizada na cidade industrial, em Curitiba no estado do Paraná. Para avaliar a qualidade do sono, das relações sociais e da saúde, utilizou-se a versão traduzida do Standard Shiftwork Index (SSI) (JAFFE; SMOLENSKI; WUN, 1996). Para a identificação do cronotipo (vespertinidade/matutinidade) foi utilizado o questionário de Horne e Ostberg (1976). Os resultados demonstraram não haver diferenças significativas entre os três turnos quando comparados os valores médios dos escores de cada constructo, com exceção para as atividades sociais e familiares. Quando analisadas separadamente, cada questão do SSI referente ao sono, algumas tendências indicaram que quando o cronotipo é relacionado com o turno de trabalho, existem percepções diferentes quanto à qualidade do sono. Foi constatado também nos três turnos um anseio dos trabalhadores por um dia a mais de folga na semana, pois o descanso semanal não é suficiente para reparar a fadiga ocasionada pelo trabalho, principalmente para os trabalhadores do terceiro turno.
Abstract The present study analyses the organization of work shifts and their impact on sleep quality, on free time allowed by the work shift for social and family activities, and on specific health aspects perceived by the worker. The subjects of the study were workmen at a printing and publishing company in Curitiba´s Industrial District. In order to evaluate the quality of sleep, social relations, and health, the translated version of the Standard Shiftwork Index (SSI) (JAFFE; SMOLENSKI; WUN, 1996) was employed. The chronotype (evening / morning) was evaluated by use of the Horne and Ostberg (1976) questionary. Results showed no meaningful differences between the three shifts, when comparing average values of the scores for each construct, except for social and family activities. When each SSI sleep related question was analysed separately, there were trends which indicated that when the chronotype is related to work shift, there are different perceptions of sleep quality. A common wish of the workpeople in all three shifts is one extra day off during the week, since it is felt that the weekly rest is not enough to repair work related fatigue, especially for those in the third shift.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/5226
Arquivos Descrição Formato
000467787.pdf (373.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.