Repositório Digital

A- A A+

Toxicidade dérmica e ocular do óleo essencial de orégano 3% (Origanum vulgare L.)

.

Toxicidade dérmica e ocular do óleo essencial de orégano 3% (Origanum vulgare L.)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Toxicidade dérmica e ocular do óleo essencial de orégano 3% (Origanum vulgare L.)
Autor Schuch, Tatiana Larissa
Orientador Mello, Joao Roberto Braga de
Co-orientador Stedile, Rafael
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do sul. Faculdade de Veterinária. Curso de Medicina Veterinária.
Assunto Fitoterápicos
Irritabilidade ocular
Irritação cutânea
Orégano
Toxicidade vegetal
[en] Eye irritation
[en] Oregano
[en] Skin irritation
Resumo As formas alternativas de tratamento, como os fitoterápicos, vem ganhando espaço nessa busca pela melhor forma de combater enfermidades tanto na medicina humana, quanto na veterinária. Desde o inicio das civilizações, já se utilizava a fitoterapia como método terapêutico. No entanto, deve-se observar que a definição de medicamento fitoterápico é diferente de fitoterapia, pois não engloba o uso popular das plantas em si, mas sim seus extratos. Os medicamentos fitoterápicos são preparações técnicas elaboradas farmacologicamente a partir de princípios ativos extraídos de plantas medicinais. Do Origanum vulgare L., o orégano, é possível extrair importante óleo essencial, que possui compostos fenólicos, como timol, carvacrol, alfa-terpineol e gama-terpineol. O óleo essencial é responsável pela conhecida propriedade antimicrobiana, antifúngica e antioxidante. Sendo assim, apresenta grande potencial para desenvolver a partir dele um fitoterápico. A legislação brasileira sobre medicamentos que é de responsabilidade da ANVISA, que normatiza o registro de medicamentos fitoterápicos no Brasil, estabelece que deverá haver a comprovação de segurança de uso (toxicologia pré-clínica e clínica) e eficácia terapêutica (farmacologia pré-clínica, farmacologia clínica) do medicamento, para fins de uso terapêuticos e profiláticos. A avaliação dos potenciais riscos da sua utilização, especialmente no que se refere à toxicidade ocular e dérmica, foi realizada através de testes em animais expostos ao óleo, seguindo os protocolos de ensaios toxicológicos internacionais da Organization for Economic Cooperation and Development (OECD). O óleo essencial do O. vulgare quando administrado à 3% pelas vias ocular e dérmica em ratos e coelhos, não causou efeitos tóxicos, irritativos permanentes ou corrosivos.
Abstract Alternative forms of treatment such as herbal medicines, has been gaining ground in this quest for the best way to combat diseases both in human medicine and in veterinary medicine. Since the beginning of civilization, was used as herbal medicine as a therapeutic method. However, it should be noted that the definition of herbal medicine herbal medicine is different, because it includes the popular use of the plant itself, but its extracts. Herbal medicines are prepared from techniques developed pharmacologically active principles extracted from medicinal plants. Of Origanum vulgare L., oregano, you can extract important essential oil, which has phenolic compounds such as thymol, carvacrol, alpha-and gamma-terpineol. The essential oil is responsible for the property known antimicrobial, antifungal and antioxidant. Thus, has great potential to develop from it a herbal. The Brazilian legislation on drugs that is the part of ANVISA, which regulates the registration of herbal medicines in Brazil, states that there should be proof of safety of use (preclinical toxicology and clinical) and treatment efficacy (pre-clinical pharmacology, pharmacology clinical) of the drug, for therapeutic or prophylactic use. The assessment of potential risks of its use, especially with regard to the ocular and dermal toxicity, was performed by testing in animals exposed to oil, following the protocols for the toxicological international Organization for Economic Cooperation and Development (OECD). The essential oil of O. vulgare when administered to 3% by the way the eye, skin and skin in rats and rabbits did not cause toxic effects, permanent irritant or corrosive.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/52515
Arquivos Descrição Formato
000851218.pdf (525.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.