Repositório Digital

A- A A+

Monitoramento de fungos no ar de unidades de terapia intensiva

.

Monitoramento de fungos no ar de unidades de terapia intensiva

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Monitoramento de fungos no ar de unidades de terapia intensiva
Autor Boff, Cristiane
Orientador Pasqualotto, Alessandro Comaru
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Aspergillus
Contagem de colônia microbiana
Resumo Nos ambientes hospitalares, crescente importância têm sido dada ao estudo dos bioaerossóis, principalmente em áreas onde pacientes suscetíveis a doenças causadas pela exposição a estes elementos estejam internados, como unidades hematológicas e de terapia intensiva. Entre os diferentes métodos utilizados para amostrar o ar no ambiente hospitalar, destaca-se o uso de amostradores que permitem a impactação direta de partículas em placas de ágar, a exemplo do coletor de Andersen®. Estes equipamentos fornecem informações qualitativas e quantitativas quanto à presença de conídios fúngicos nos ambientes avaliados, sendo possível relatar o resultado em unidades formadoras de colônia por metro cúbico de ar. Apesar de diversos estudos terem sido realizados para avaliar a qualidade do ar em ambientes internos, ainda não foi estabelecida uma padronização para níveis aceitáveis de fungos em ambientes não equipados com filtros de alta eficiência (HEPA). Além disso, a concentração de fungos nos ambientes sofre influências de diversas variáveis, incluindo as características físicas das partículas, fatores ambientais e outras situações, como a presença de obras e tipos de filtro de ar condicionado. Neste estudo, avaliou-se a qualidade do ar de duas unidades de terapia intensiva em hospitais universitários de Porto Alegre, no intuito de estudar a quantidade de fungos presentes nestas unidades, correlacionando os achados com variáveis ambientais e com o isolamento de fungos a partir de amostras clínicas.
Abstract Increasing importance has been given to the study of bioaerosols in hospital environments, mainly in areas where patients that are susceptible to diseases caused by fungal exposure are admitted, such as in hematological units and in the intensive care. Among the different methods used to sample the air in a hospital environment, emphasis has been put on the use of samplers that allow direct impaction of particles in agar plates such as the Andersen sampler. This equipment provides qualitative and quantitative information regarding the presence of fungal conidia in the environment, providing results in terms of number of colony forming units per m3 of sampled air. However, guidelines on how to interpret fungal concentrations in areas that are not equipped with high efficiency particulate air filters (HEPA) are not available. It is well known the concentration of fungi in the environments is influenced by several variables, including the physical characteristics of the particles, environmental factors and others, such as the presence of construction works and air conditioning filter types. In this study, we evaluated the air quality of three intensive care units in university hospitals in Porto Alegre. Our aim was to study the quantity of fungi present in these units, correlating the findings with environmental variables and the recovery of fungi from clinical samples.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/53159
Arquivos Descrição Formato
000854130.pdf (673.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.