Repositório Digital

A- A A+

Perfil neuropsicolinguístico de adolescentes com ou sem transtorno de ansiedade : um estudo de casos e controles

.

Perfil neuropsicolinguístico de adolescentes com ou sem transtorno de ansiedade : um estudo de casos e controles

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Perfil neuropsicolinguístico de adolescentes com ou sem transtorno de ansiedade : um estudo de casos e controles
Autor Toazza, Rudineia
Orientador Manfro, Gisele Gus
Co-orientador Salles, Jerusa Fumagalli de
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Neurociências.
Assunto Adolescente
Função executiva
Neuropsiquiatria
Psicolinguística
Testes neuropsicológicos
Transtornos de ansiedade
[en] Anxiety disorders
[en] Executive functions
[en] Neuropsychiatry
[en] Neuropsychology tests
[en] Verbal fluency
Resumo Introdução: Os transtornos de ansiedade na infância e adolescência são extremamente comuns e incapacitantes. Embora algumas das suas características neuropsicológicas já tenham sido descritas, a maioria dos processos mentais subjacentes envolvidos na sua fisiopatologia ainda não foram elucidados. Objetivo: Investigar as características neuropsicolinguísticas de adolescentes com e sem transtornos de ansiedade selecionados a partir de uma amostra da comunidade. Métodos: Foram incluídos nesse estudo adolescentes com idades entre 12 e 18 anos, provenientes de escolas públicas da rede da abrangência do Hospital de Clínicas de Porto. O diagnóstico psiquiátrico foi realizado utilizando o instrumento K-SADS-PL. Para avaliação dos domínios neuropsicológicos de orientação, atenção, percepção, memória, aritmética, linguagem, praxias, funções executivas (fluência verbal e resolução de problemas) foi utilizada a Bateria de Avaliação Neuropsicológica Breve NEUPSILIN. Resultados: Um total de 58 adolescentes (25 casos e 34 controles) foram incluídos nessa amostra. Resultados dos testes multivariados da MANCOVA revelaram um efeito principal dos transtornos de ansiedade nos domínios cognitivos avaliados (F=2,246; p=0,039). Análises complementares revelaram que adolescentes com transtornos de ansiedade tiveram pior desempenho no teste de fluência verbal fonêmica em comparação ao grupo controle, com um tamanho de efeito moderado, d=1,21 (IC95% 0,91-1,50, p <0,001). Uma análise qualitativa desse achado revela um menor número de palavras recuperadas corretamente na tarefa e menor número de permutação em indivíduos com ansiedade se comparados aos controles. Não foram encontradas outras diferenças nas demais dimensões investigadas neste estudo. Conclusão: foram encontradas evidências preliminares de uma associação entre o desempenho na tarefa de fluência verbal fonêmica (acesso lexical e funções executivas) e transtornos de ansiedade em adolescentes. Isso pode representar uma evidência de um déficit cognitivo de funções mais complexas de processamento em uma tarefa tempo-dependente.
Abstract Introduction: anxiety disorders are extremely common and impairing psychiatric conditions. Although some neuropsychological characteristics have already been described, most of the underlying mental processes involved in its pathophysiology are still to be investigated. Objetive: Investigate a broad range of neuropsychological characteristics in adolescents with and without anxiety disorders selected from a community sample. Methods: Were included in this study adolescents aged between 12 and 18 years, from public schools of the scope of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Psychiatric diagnosis was performed with K-SADS-PL. We used a neuropsychological battery of tasks addressing major neuropsychological domains – Brazilian Brief Neuropsychological Assessment Battery NEUPSILIN: orienting, attention, perception, memory, arithmetic, language, praxis, and executive functions (verbal fluency and problem solving). Results: A total of 58 adolescents (25 cases and 34 controls) were included in this study. Results from the multivariate tests of the MANCOVA reveal a main effect of anxiety disorders in the neurocognitive domains evaluated (F=2.246; p-value=0.039). Post-hoc analyses reveal that phonemic verbal fluency was markedly different between cases and controls, with a moderate effect size, d=1.21 (CI95% 0.91-1.50; p<0.001). Supplementary qualitative analysis reveals a lower number of retrieved correct words and lower number of switches in subjects with anxiety if compared to controls in this specific task. We found no other significant differences in the remaining seven dimensions investigated in this study. Conclusion: we found preliminary evidence of an association between phonemic verbal fluency and anxiety disorders. This may represent an evidence of a high order cognitive deficit in time-dependent tasks involving performance.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/55076
Arquivos Descrição Formato
000857128.pdf (2.272Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.