Repositório Digital

A- A A+

Saúde das mulheres indígenas no Brasil : uma revisão integrativa

.

Saúde das mulheres indígenas no Brasil : uma revisão integrativa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Saúde das mulheres indígenas no Brasil : uma revisão integrativa
Autor Marcolino, Denize Leticia
Orientador Armellini, Claudia Junqueira
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Saúde da mulher
Saúde de populações indígenas
Resumo O presente estudo é uma revisão integrativa de pesquisa, baseada na metodologia proposta por Cooper (1982), que objetivou conhecer os temas dos estudos sobre a saúde das mulheres indígenas no Brasil. A amostra do estudo contou com 15 artigos científicos pesquisados na base de dados LILACS e publicados entre janeiro de 2005 a dezembro de 2011. A revisão possibilitou a identificação de oito temas relacionados à saúde das mulheres indígenas, sendo dois estudos realizados somente com indivíduos do sexo feminino e os demais incluíram ambos os sexos. Os temas mais frequentes foram perfil metabólico e antropométrico e estado nutricional, e saúde bucal. Outros temas encontrados foram vírus da Hepatite B, C e D, lesão do ligamento cruzado anterior, anemia, câncer de mama, anticorpos do vírus da Varicela-Zoster, Diabete Mellitus e tolerância à glicose respectivamente. Foi possível perceber a escassez de pesquisas brasileiras que abordassem a temática saúde das mulheres indígenas, principalmente quando se trata de questões referentes ao ciclo gravídico puerperal, fecundidade, planejamento familiar, ginecologia, gênero, cultura entre outras que são relevantes na saúde da mulher. A partir da análise dos estudos, verificou-se que as mulheres indígenas estudadas apresentam presença de fatores protetores para câncer de mama como aleitamento, multiparidade, ausência do uso de hormônios, o não tabagismo e não etilismo. Quanto aos demais estudos, foram constatadas alterações metabólicas e antropométricas entre as populações indígenas estudadas, foram observados indivíduos com excesso de peso, dislipidemias e elevação dos níveis pressóricos. A obesidade central foi encontrada em maior proporção nas mulheres da etnia Suyá. Esses achados se devem ao processo de transição epidemiológica e nutricional observado nas populações indígenas. Frente ao exposto, há necessidade de implementação de medidas que visem o controle e a prevenção da obesidade, como também de ações educativas que possam resgatar hábitos e estilo de vida tradicionais desses grupos, a fim de minimizar problemas relacionados à saúde.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/55289
Arquivos Descrição Formato
000857050.pdf (947.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.