Repositório Digital

A- A A+

Ação gráfica : a representação como experiência simbólica e cognitiva

.

Ação gráfica : a representação como experiência simbólica e cognitiva

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Ação gráfica : a representação como experiência simbólica e cognitiva
Autor Comerlato, Denise Maria
Orientador Schäffer, Margareth
Data 2005
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Abstração
Capacidade reflexiva
Conhecimento científico
Desenho
Desenvolvimento cognitivo
Educação de jovens e adultos
Escrita
Pensamento simbólico
Piaget, Jean, 1896-1980
Representação gráfica
[en] Cognition
[en] Graphic representation
[en] Symbolic and conceptual thinking
[en] Young people and adults education
Resumo Esta pesquisa busca ampliar a compreensão dos processos de aprendizagem de jovens e adultos em escolarização inicial, especialmente no que diz respeito à ação gráfica – enquanto experiência de uso e de manipulação dos símbolos -, tendo em vista aprofundar em quê e como as representações gráficas contribuem para produzir formas de ver o mundo, de lógicas para compreendê-lo, organizá-lo, produzi-lo, atuar mesmo nele. Tomo as representações gráficas como objetos privilegiados para a investigação das relações entre as dimensões simbólica e cognitiva do conhecimento, implicando tanto na produção de um modo específico de conhecimento desenvolvido pela modernidade - o conhecimento científico -, quanto na apropriação dos conhecimentos científicos/escolares por alunos jovens e adultos. Recorro aos autores Bottéro, Goody, Olson, Ferreiro, entre outros, para problematizar aspectos das representações gráficas e construir um panorama histórico e cultural das mesmas: com Bottéro, especialmente no que diz respeito a alguns obstáculos epistemológicos superados no desenvolvimento histórico das representações gráficas; com Goody, o conceito de escritura - enquanto ação e efeito de escrever - produzindo tanto transformações cognitivas quanto sociais; com Olson, a construção do conceito de representação próprio da modernidade, que estabelece uma relação singular do homem com o mundo, situando-o num “universo representado sobre o papel”; e com Ferreiro, algumas especificidades da língua escrita - como uma forma particular de realizar a linguagem - de forma muito diferente da língua oral. Faço uso dos estudos de Piaget para compreender a formação do símbolo e a constituição do pensamento representativo, e analisar a importância do desenvolvimento simbólico para toda a inteligência posterior. Busco também as possibilidades de desenvolvimento da teoria piagetiana, especialmente com reflexões acerca do conhecimento científico e da abstração reflexionante, tendo como foco as representações gráficas, mesmo que essas não tenham sido tema de estudo do autor. Indico, por fim, a possibilidade de uma leitura solidária e complementar entre os aspectos figurativos e operativos do conhecimento, assim como entre o pensamento simbólico e o pensamento conceitual. A investigação realizada encaminha-se para uma discussão de cunho teórico e lida com as representações gráficas no âmbito epistemológico, quando busca compreender sua natureza, e, no âmbito funcional, quando apresenta as produções de sujeitos adultos pouco ou não escolarizados. Mas essa distinção entre sujeito epistêmico e psicológico só reflete as formas de elaboração complementares do sujeito que tende tanto ao conhecimento normativo quanto ao conhecimento prático e empírico, tratando-se, independentemente dos aspectos salientados num ou noutro momento dessa tese, da tentativa de enfocar o sujeito cognoscente, isto é, a de um sujeito que tenta participar ativamente na construção do conhecimento do mundo e de si próprio.
Abstract This research aims at broadening the understanding of learning processes young people and adults undergo during elementary education, especially concerning graphic activities – experiences with the use and manipulation of symbols. This thesis will try to discuss how graphic representations contribute to produce ways to see the world, how they create logics to understand, organize, produce and live in this world. I take graphic representations as privileged objects in the investigation of relations between the symbolic and cognitive dimensions of knowledge. Such representations imply both the production of a specific knowledge developed by the Modern era, the scientific knowledge, and the appropriation of school/scientific kinds of knowledge by young people and adults. Using theoretical authors like Bottero, Goody, Olson, Ferreiro, among others, this research questions aspects of graphic representations in order to construct a historical and cultural panorama of them: Bottero’s contribution especially regards some epistemological obstacles that were overcome in the historical development of graphic representations; Goody brings the concept of writing – as action and effect of writing –, producing both cognitive and social changes; Olson discusses the construction of the representation concept, which is typical of the Modern era and sets up a singular relationship between the world and men, placing them into a “universe represented on paper”; Ferreiro uses an approach to discuss some particularities of written language – as a particular way to perform language – that differs a lot from the approach used to study oral language. Piaget’s studies help to understand the formation of the symbol and the constitution of representative thinking. His theories were also useful to analyze the importance of symbolic development throughout an individual’s life. This thesis searches for the possibilities to develop Piaget’s theory, especially with considerations on scientific knowledge and on reflexive abstraction, focusing graphic representations, although this author didn’t studied this theme. Finally I indicate the possibility of a complementary and supporting reading between figurative and operative aspects of knowledge, as well as between symbolic and conceptual thinking. The investigation carried out attempts to establish a theoretical debate and deals with graphic representations in the epistemological scope, when it comes to understand their nature, and in the functional scope, when they present the production of adult subjects with little or no education at all. However, this distinction between the epistemological and the psychological subject only reflects a complementary elaboration of a subject that tends both to normative knowledge and to practical and empirical knowledge. Independently of the aspects stressed in one or another part of this thesis, it attempts to focus cognoscent subjects, that is, subjects that try to actively take part in the construction of their knowledge on the world and on themselves.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/55324
Arquivos Descrição Formato
000491543.pdf (2.721Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.