Repositório Digital

A- A A+

Adaptação transcultural e validação da Self-Care of Heart Failure Index versão 6.2 para uso no Brasil

.

Adaptação transcultural e validação da Self-Care of Heart Failure Index versão 6.2 para uso no Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Adaptação transcultural e validação da Self-Care of Heart Failure Index versão 6.2 para uso no Brasil
Autor Ávila, Christiane Wahast
Orientador Silva, Eneida Rejane Rabelo da
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Autocuidado
Comparação transcultural
Estudos de validação
Insuficiência cardíaca
[en] Heart failure
[en] Self-care
[en] Transcultural comparison
[en] Validation studie
[es] Autocuidado
[es] Comparación transcultural
[es] Estudios de validez
[es] Insuficiencia cardiaca
Resumo Estudos ao longo dos últimos anos têm enfatizado a importância da educação sobre o autocuidado na insuficiência cardíaca (IC), assim como a avaliação da efetividade de sua implementação por meio de instrumentos validados. Pesquisadores americanos desenvolveram uma escala denominada Self-Care of Heart Failure Index version 6.2 (SCHFI v 6.2) que permite a avaliação do autocuidado nas etapas de manutenção, manejo e confiança possibilitando identificar em que etapa o autocuidado está prejudicado. No Brasil, não existem escalas validadas que avaliem o autocuidado em pacientes com IC contemplando essas etapas. Este estudo teve como objetivo adaptar transculturalmente e validar a versão em português da SCHFI v 6.2. Realizou-se um estudo metodológico desenvolvido no Ambulatório de Insuficiência Cardíaca do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. A SCHFI v 6.2 apresenta 22 itens divididos em três subescalas (Manutenção do Autocuidado, Manejo do Autocuidado e Confiança do Autocuidado) que podem ser aplicadas separadamente, com escores máximos de 100 pontos (escores acima de 70 pontos indicam um autocuidado adequado). A versão adaptada e validada para o Brasil foi denominada de Escala de Autocuidado para Pacientes com Insuficiência Cardíaca (EAC-IC).As propriedades psicométricas testadas foram a validade de face e de conteúdo (comitê de juízes), validade de constructo convergente (coeficiente de correlação de Pearson) com a European Heart Failure Self-care Behavior Scale (EHFScBS) versão brasileira (com 12 itens, que apresenta um escore que varia de 12 a 60 e que escores menores indicam melhor autocuidado) validada no Brasil e a EAC-IC. A fidedignidade foi avaliada quanto à consistência interna de seus itens (alfa de Cronbach) e quanto à estabilidade (concordância interobservador). Incluíram-se 190 pacientes, com idade média de 61 ± 13 anos. A validade de face e conteúdo conferiu ao instrumento sua equivalência semântica, idiomática, experimental e conceitual. A validade de constructo convergente foi demonstrada através de uma correlação inversa, moderada e significativa de r=-0,30 quando comparados todos os itens da EAC-IC com os da EHFScBS versão brasileira (escores originais dos dois instrumentos e de r=-0,51 (escores das questões equivalentes da EAC-IC com os da EHFScBS versão brasileira indicando uma correlação inversa forte e significativa. A fidedignidade das três subescalas foi demonstrada quanto a consistência interna através de um alfa de Cronbach de 0,77 (total da escala), 0,43 (Manutenção do Autocuidado), 0,76 (Manejo do Autocuidado) e 0,94 (Confiança do Autocuidado), respectivamente. Podemos concluir que a versão adaptada da SCHFI v 6.2 para o português mostrou-se válida e confiável para uso no Brasil.
Resumen Estudios a lo largo de los últimos años han enfatizado la importancia de la educación sobre el autocuidado en la insuficiencia cardiaca (IC), así como la evaluación de la efectividad de su implementación por medio de instrumentos válidos. Investigadores americanos desarrollaron una escala nominada Self-Care of Heart Failure Index version 6.2 (SCHFI v 6.2) que permite la evaluación del autocuidado en las etapas de manutención, manejo y confianza favoreciendo identificar en cual etapa el autocuidado está perjudicado. En Brasil, no existen escalas subsistentes que evalúen el autocuidado en pacientes con IC considerando dichas etapas. El objetivo del este estudio fue adaptar transculturalmente y validar la versión en portugués de SCHFI v 6.2. Se realizó un estudio metodológico desarrollado en el Ambulatorio de Insuficiencia Cardiaca del Hospital de Clínicas/ Porto Alegre. SCHFI v 6.2 presenta 22 añadiduras divididas en tres subescalas (Manutención del Autocuidado, Manejo del Autocuidado y Confianza del Autocuidado) que pueden ser aplicadas separadamente, con escores máximos de 100 puntos (escores superiores a 70 puntos indican un autocuidado adecuado). La versión adaptada y válida para Brasil fue nominada de Escala de Autocuidado para Pacientes con Insuficiencia Cardiaca (EAC-IC). Las propiedades psicométricas evaluadas fueron la validez de fase y de contenido (comité de jueces), validez de constructo convergente (coeficiente de correlación de Pearson) con la European Heart Failure Self-care Behavior Scale (EHFScBS versión brasileña (con ítem que presenta un escore variable de 12 a 60 y cuyos escores menores indican mejor autocuidado) válida en Brasil y EAC-IC. La veracidad fue evaluada con base en la consistencia interna de sus añadiduras (alfa de Cronbach) y en la estabilidad (concordancia inter observador). Se incluyeron 190 pacientes, con edad de 61= 13 años. La validez de fase y contenido confirieron al instrumento su equivalencia semántica, experimental y conceptual. La validez de Validez convergente fue demostrada a través de una correlación invertida moderada y significativa r=-0,30 cuando comparadas todas las añadiduras de EAC-IC e de EHFScBS versión brasileña (escores originales de dos instrumentos e de r=-0,51 (escores de cuestiones equivalentes de EAC-IC y de EHFScBS versión brasileña) indicando una correlación inversa excelente y significativa. La veracidad de las tres subescalas fue demostrada por alfa de Cronbach de 0,77 (total), 0,43 (Manutención del Autocuidado), 0,76 (Manejo del Autocuidado) y 0,94 (Confianza del Autocuidado), respectivamente. Se concluye que la versión adaptada de SCHFI v 6.2 para el portugués se muestra válida y confiable para uso en Brasil.
Abstract During the past years, several studies have been emphasizing the importance of self-care education for patients with heart failure (HF), as well as the evaluation of effectiveness of its implementation through valid instruments. American researchers developed a scale named Self-Care of Heart Failure Index v 6.2 (SCHFI v 6.2), which allows for the evaluation of selfcare maintenance, self-care management, and self-care confidence. The scale helps identifying which level in self-care needs improvement. In Brazil, there is no valid scale for the evaluation of self-care in patients with HF that takes into consideration these levels. The objective of this study was transculturally adapt and validate the Portuguese version of SCHFI v 6.2. It was conducted a methodological study developed at Ambulatório de Insuficiência Cardíaca do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (Outpatient Heart Failure Clinic at Hospital de Clínicas, Porto Alegre). The SCHFI v 6.2 has 22 items divided in three levels (self-care maintenance, self-care management, and self-care confidence) that may be applied separately, with maximum score of 100 (scores higher than 70 indicate adequate self-care). The adapted and validated version for Brazilian Portuguese was named Escala de Autocuidado para Pacientes com Insuficiência Cardíaca (EAC-IC). The psychometric properties tested were face and content validity (committee of judges), convergent construct validity (Pearson’s correlation coefficient) with the European Heart Failure Self-care Behavior Scale (EHFScBS) brazilian version (12 items, with a score of 12-60 range, were lower scores indicate better self-care) validated in Brazil and EAC-IC. Reliability was evaluated according its internal consistency (Cronbach’s Alpha) and according to its stability (interobserver agreement). It were included 190 patients, age 61 ± 13 years old, were included. The face and content validity conferred to the instrument its semantics, language, experimental and conceptual equivalency. The convergent construct validity was demonstrated through an inverse and significant correlation of r=-0.30 when compared to other items present in EAC-IC and EHFScBS brazilian version original scores in both instruments, and r=-0.51 for equivalent questions score of EAC-IC and EHFScBS brazilian version indicating significant correlation of large magnitude. The reliability of three subscales was demonstrated by Cronbach’s Alpha of 0.77 (total), 0.43 (Self-care maintenance), 0.76 (Self-care management), and 0.94 (Self-care confidence), respectively. We can conclude that the adapted version of SCHFI v 6.2 for Portuguese proved to be valid and reliable for its use in Brazil.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/55507
Arquivos Descrição Formato
000858530.pdf (705.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.