Repositório Digital

A- A A+

Estudo do efeito tipo-antidepressivo de n-acetilcisteína no aumento de imobilidade induzido por interferon-alfa no teste de suspensão pela cauda em camundongos

.

Estudo do efeito tipo-antidepressivo de n-acetilcisteína no aumento de imobilidade induzido por interferon-alfa no teste de suspensão pela cauda em camundongos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo do efeito tipo-antidepressivo de n-acetilcisteína no aumento de imobilidade induzido por interferon-alfa no teste de suspensão pela cauda em camundongos
Autor Saldanha, Vanessa Pereira
Orientador Elisabetsky, Elaine
Co-orientador Campos, Luciane Costa
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Curso de Biomedicina.
Assunto Acetilcisteína
Depressão
Interferon alfa
Resumo Interferon α (IFN-α) tem sido usado em pacientes com alguns tipos de câncer ou doenças virais crônicas, como hepatite C. A terapia com essa citocina para hepatite C, apesar de eficaz, tem importantes efeitos adversos, sendo que depressão pode acometer mais da metade dos pacientes. O desenvolvimento da depressão em pacientes submetidos à imunoterapia parece estar relacionado com a ativação da enzima indolaminina 2,3-dioxigenase IDO pelo IFN-α, o que, em última análise, interfere nos sistemas serotoninérgico e glutamatérgico. A N-acetilcisteína (NAC) tem sido indicada como adjuvante na terapia com IFN-α por, aparentemente, melhorar a ação antiviral. NAC também age no SNC, e evidências sugerem possível atividade antidepressiva. Objetivo: Avaliar a atividade antidepressiva de NAC num modelo animal preditivo de atividade antidepressiva com alteração de comportamento induzida por IFN-α. Material e Métodos: Foi usado o modelo de suspensão pela cauda. Camundongos (BAlbc) (N=8-13) foram tratados com IFN-α (2400U/kg), com ou sem administração prévia de NAC (25mg/kg) ou imipramina (20mg/kg). Tempo de imobilidade analisado por ANOVA. Resultados: O tratamento agudo com IFN-α aumentou significativamente (p<0,05) o tempo de imobilidade, efeito prevenido pela administração aguda de NAC, mas não de imipramina. Conclusão: Corroborando as observações clínicas, IFN-α induziu em camundongos comportamento correlato de depressão no modelo de suspensão pela cauda. Neste modelo NAC mostrou ação tipo-antidepressiva. Um estudo mais abrangente, com várias doses e modelos experimentais, é necessário para validar estes dados preliminares. Considerando o efeito positivo de antioxidante na atividade antiviral e os efeitos adversos dos antidepressivos, justifica-se a continuidade deste estudo.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/55608
Arquivos Descrição Formato
000856521.pdf (182.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.