Repositório Digital

A- A A+

“Eu não sou muito boa para escrever [...]” : práticas pedagógicas preventivas às dificuldades de aprendizagem na escrita

.

“Eu não sou muito boa para escrever [...]” : práticas pedagógicas preventivas às dificuldades de aprendizagem na escrita

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título “Eu não sou muito boa para escrever [...]” : práticas pedagógicas preventivas às dificuldades de aprendizagem na escrita
Autor Silva, Luciane Freire da
Orientador Corso, Luciana Vellinho
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Dificuldades de aprendizagem
Ensino fundamental
Prática pedagógica
Resumo Este estudo tem por objetivo investigar as práticas pedagógicas preventivas às dificuldades de aprendizagem na escrita. A emergência deste tema justifica-se pela complexidade do processo de aquisição da escrita dos alunos dos primeiros anos do Ensino Fundamental e a importância das práticas pedagógicas das professoras alfabetizadoras. Trata-se de um estudo de caso qualitativo que envolveu alunos de uma turma de terceiro ano e duas professoras, uma do terceiro ano e uma do quarto ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Porto Alegre. Como forma de obtenção de dados foi realizada uma entrevista semiestruturada com 20 alunos, professoras e observações, a fim de analisar algumas práticas pedagógicas da professora alfabetizadora. Utilizou-se também da análise de meu relatório de estágio. A partir dos dados levantados, procurou-se compreender possíveis fatores produtores de sucesso nas práticas preventivas às dificuldades de aprendizagem na escrita. A pesquisa tomou como referencial teórico os estudos de Golbert, Corso, Moojen, entre outros. Interessou, portanto atribuir lógica ao que as professoras chamam de dificuldades de aprendizagem na escrita, ao modo como são desenvolvidas suas práticas pedagógicas referentes ao processo de aprendizagem da escrita. Fica evidente nesse grupo que as professoras confundem as dificuldades de aprendizagens relacionadas ao processo de construção da escrita com problemas, até mesmo transtornos de aprendizagens específicos neste domínio. Os achados destacam que as práticas pedagógicas realizadas pelas professoras alfabetizadoras não visam à prevenção de dificuldades e que, por assim ser, aqueles alunos que demonstram maior fragilidade nesta área tendem a evitar/desgostar das tarefas de escrita e perceber-se como maus escritores, prejudicando, assim, sua vida escolar. Destacou-se a necessidade de um trabalho sistemático, com propostas de leitura e escrita diariamente e que atenda às necessidades e dificuldades dos alunos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/56388
Arquivos Descrição Formato
000859015.pdf (842.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.