Repositório Digital

A- A A+

Um panorama histórico da esgrima em Porto Alegre : dos primórdios da prática até a organização de sua entidade própria

.

Um panorama histórico da esgrima em Porto Alegre : dos primórdios da prática até a organização de sua entidade própria

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Um panorama histórico da esgrima em Porto Alegre : dos primórdios da prática até a organização de sua entidade própria
Autor Carmona, Eduardo Klein
Orientador Mazo, Janice Zarpellon
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Esgrima : Historia
[en] Fencing
[en] History
[en] Sports
Resumo A esgrima enquanto um esporte de combate tem sua origem atrelada à criação de um dos primeiros armamentos bélicos da história: a espada. Esta foi o principal instrumento de batalha dos povos da antiguidade, que ao longo dos tempos veio se modificando quanto à estrutura, ao peso, à matéria-prima e à sua finalidade. Durante grande parte da Idade Média e nos primeiros séculos da Idade Moderna, a arte de manejar a espada, ou seja, a esgrima era praticada nas cortes europeias em duelos de exibição como um modo de entretenimento da nobreza, mas também era realizada como meio de resolver disputas e desentendimentos entre homens. Com o advento das armas de fogo, a esgrima perde seu poderio bélico e passa a receber status e configuração de esporte. As organizações militares da Europa, em especial à francesa, são as grandes responsáveis pela institucionalização da esgrima. Os primeiros registros de sua prática no Brasil datam o século XIX, na época do Império. No final deste mesmo século a esgrima foi disseminada em instituições militares do país e em clubes que congregavam imigrantes alemães, principalmente em estados do sul do Brasil. No Rio Grande do Sul, a Turnerbund, atualmente conhecida por Sociedade Ginástica Porto Alegre (SOGIPA), foi uma das primeiras instituições a promover a prática da esgrima. Este estudo tem o objetivo de reconstituir a história da esgrima desde os primórdios da prática até a organização da Federação Riograndense de Esgrima na capital do estado do Rio Grande do Sul. A pesquisa foi construída por meio de fontes documentais, impressas e imagéticas, como o Catálogo da Revista do Globo e o Almanaque Esportivo do Rio Grande do Sul. As fontes consultadas revelam que até década 1930, o processo de desenvolvimento da esgrima no Rio Grande do Sul se mostra muito lento. Na década de 1940, este panorama começa a mudar, pois os membros das instituições que desenvolviam a prática esgrima se uniram para, em 1943, fundar a Federação Riograndense de Esgrima (FRGE) e assim difundir esta prática esportiva. Esta união também se deu como forma de legitimar a identidade “esgrimística” sul-rio-grandense daquele grupo. No ano seguinte, as mobilizações feitas pela FRGE renderam frutos, conquistando a vinda do Campeonato Brasileiro de Esgrima para Porto Alegre. Em prol da esgrima, a FRGE organiza um calendário para o esporte e passa a promover a sua expansão no Estado, além de organizar equipes para competições nacionais. Desde então, a esgrima sul-rio-grandense sempre figurou entre as quatro melhores equipes do país.
Abstract The Fencing as a combat sport has its origins tied to the creation of na early history of the armaments: the sword.This has been the main battle of ancient peoples, who over time came to modifying their structure, weight, raw material and its purpose. For much of the Middle Ages and the early centuries of the Modern Age, the art of handling the sword, or better, the fencing was practiced in European courts in duels of view as a mode of entertainment of the nobility, but was held as a means of resolve disputes and misunderstandings between men. With the advent of firearms, the fencing loses its military power and starts to receive status and configuration of the sport. The military organizations of Europe, particularly the French, are largely responsible for the institutionalization of fencing. The first records of this practice in Brazil date from the XIX century, at the time of the Empire. At the end of this century the fencing was widespread in the country’s military institutions and clubs that brought together german immigrants in the southern states of Brazil. In Rio Grande do Sul, the Turnerbund, currently known as Sociedade Ginástica de Porto Alegre (SOGIPA),was one of the first institutions to promote the practice of fencing.This study has the objective of reconstructing the history of fencing since the beginning of practice until the organization of the Federação Riograndense de Esgrima in the state capital of Rio Grande do Sul. The survey was constructed by means of documentary sources, print and image, as the catalog of the Globe Magazine and Sports Almanac of Rio Grande do Sul. The sources consulted indicate that up to 1930 decade, the development process of fencing in the Rio Grande do Sul proves too slow. In the 1940s, this scene begins to change, because members of the institutions that developed the practice came together to fencing in 1943, founding Federação Riograndense de Esgrima (FRGE) and thus spread this sport. This union also gave as a way of legitimizing identity "esgrimística" in Rio Grande do Sul that group. The following year, the demonstrations made by FRGE borne fruit, winning the coming of the Campeonato de Esgrima in Porto Alegre. In favor of fencing, the FRGE organizes a calendar for the sport and is promoting its expansion in the state, and organize teams for national competitions. Since then, fencing in Rio Grande do Sul has always figured among the four best teams in the country.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/56785
Arquivos Descrição Formato
000861608.pdf (1.101Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.