Repositório Digital

A- A A+

Análise do custo físico do trabalho de professoras de ginástica sistematizada

.

Análise do custo físico do trabalho de professoras de ginástica sistematizada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise do custo físico do trabalho de professoras de ginástica sistematizada
Autor Silva, Jackson José da
Orientador Guimaraes, Lia Buarque de Macedo
Data 2005
Nível Mestrado profissional
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.
Assunto Ergonomia
Ginástica
Trabalho
Resumo Este trabalho apresenta discussão sobre análise do custo físico do trabalho em professoras de ginásticas sistematizadas em academias. Seus objetivos se determinaram em relatar o custo físico do trabalho de professoras de ginástica, sua percepção subjetiva de esforço durante a aula e mensurar o nível de dor sentido em vários segmentos com o uso da escala de Corlett. A fim de atingir esses objetivos, determinou-se estudo de literatura abrangendo os conceitos de carga de trabalho, custo físico, fadiga muscular e mental e rotas energéticas. As aulas de ginástica analisadas para facilidade de estudo foram divididas em três momentos: 0 ao 21 minuto, do 22 minuto ao 40 e do 41 ao 60 minuto, obedecendo a metodologia empregada na maioria das aulas, aquecimento, parte principal e relaxamento. Para determinar o custo físico de trabalho foi utilizada a classificação proposta por Apud (1987), a carga de trabalho foi estabelecido com o auxílio de equação específica, utilizando-se os valores de freqüência cardíaca de repouso, freqüência cardíaca de trabalho e idade, a escala subjetiva de esforço foi medida pela escala de Borg. A escala de Corlett, que se constitui em uma escala contínua para cada segmento do corpo com duas ancoras, foi utilizada para medir o nível de dor. A análise dos resultados apresentou um elevado custo físico do trabalho, nas três partes da aula e uma elevada carga de trabalho, esse resultado foi encontrado em todos os professores, classificando seu trabalho como extremamente pesado. O maior nível de dor apontado pelos professores esta nos membros inferiores (joelho, coxa, perna e tornozelo) seguidos por queixas de desconforto das regiões de ombros.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/5716
Arquivos Descrição Formato
000518738.pdf (248.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.