Repositório Digital

A- A A+

Uma trajetória brasileira na arquitetura das exposições universais dos anos 1939-1992

.

Uma trajetória brasileira na arquitetura das exposições universais dos anos 1939-1992

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Uma trajetória brasileira na arquitetura das exposições universais dos anos 1939-1992
Autor Macadar, Andrea Moron
Orientador Fuao, Fernando Delfino de Freitas
Data 2005
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Arquitetura. Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura.
Assunto Edifícios para exposições
Exposições : Arquitetura moderna
Exposições : Bruxelas (Bélgica)
Exposições : Nova Iorque (Estados Unidos)
Exposições : Osaka (Japão)
Exposições : Sevilha (Espanha)
Exposições universais
Historia da arquitetura
Pavilhão do Brasil, Edifício (Bruxelas, Bélgica)
Pavilhão do Brasil, Edifício (Nova Iorque, Estados Unidos)
Pavilhão do Brasil, Edifício (Osaka, Japão)
Pavilhão do Brasil, Edifício (Sevilha, Espanha)
Pavilhões
Resumo O presente trabalho desenvolve uma análise crítica e comparativa entre a arquitetura de quatro Pavilhões Brasileiros. Para tanto, tomando como base a participação do Brasil com pavilhões próprios nas exposições universais: Expo’39, em Nova York; Expo’58, em Bruxelas; Expo’70, em Osaka e projeto para Expo’92, em Sevilha, respectivamente, cada um dos pavilhões é analisado dentro do seu contexto histórico nacional e internacional. É uma tentativa de resgatar a importância da arquitetura efêmera brasileira, sobre a qual devem predominar registros relacionados à compreensão crítica da arquitetura nacional. As análises realizadas baseiam-se em conceitos e qualidades comuns e opostas durante a explanação de cada uma das situações documentadas. Assim, são relacionados e interpolados aspectos culturais, sociais e políticos existentes no âmbito da arquitetura nacional vigente. Os pensamentos dominantes da época, ideologias e conceitos são abordados durante o desenvolvimento desta dissertação. Ficou comprovado através das análises que, nem sempre a arquitetura dos Pavilhões Brasileiros procurou representar uma identidade nacional. Efetivamente, as análises deste trabalho comprovaram diversas influências na arquitetura dos Pavilhões Brasileiros e, muitas vezes, o resultado da representação brasileira limitou-se a refletir escolas ou correntes regionais que tiveram relevância no período da modernização brasileira.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/5881
Arquivos Descrição Formato
000521545.pdf (6.700Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.