Repositório Digital

A- A A+

Acurácia do teste de fixação preferencial para o diagnóstico de ambliopia em pacientes estrábicos

.

Acurácia do teste de fixação preferencial para o diagnóstico de ambliopia em pacientes estrábicos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Acurácia do teste de fixação preferencial para o diagnóstico de ambliopia em pacientes estrábicos
Autor Procianoy, Letícia
Orientador Furlanetto, Tania Weber
Data 2008
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Ambliopia
Estrabismo
Resumo Resultados: O estudo incluiu 221 pacientes entre 6 e 38 anos. A acurácia do TFP foi semelhante para todas as escalas, não havendo vantagem em associá-las (α Crombach 0.99). Assim, a Escala Tempo foi analisada por ser a mais fácil de ser realizada na prática clínica. A sensibilidade e a especificidade entre pacientes com estrabismo maior ou igual a 10DP foram respectivamente 72,8% (IC95% 59,7–83,6) e 77,6% (IC95% 66,6–86,3); entre os com desvio menor do que 10DP foram 89.6% (IC95% 72,6–97,8) e 64.2% (IC95% 44,0–81,3). O Teste das 10 DP não alterou essa acurácia. A razão de probabilidades apresentou maior força de associação nos graus extremos do TFP. No entanto, os graus intermediários do teste mudaram a chance de ambliopia em apenas duas a três vezes. A concordância intra e interexaminador foi respectivamente de 76% (IC95% 51–100) e 73% (IC95% 48– 97). Conclusão: As três escalas do TFP mostraram acurácias semelhantes para o diagnóstico de ambliopia. O teste funcionou melhor quando os resultados extremos foram obtidos (“não fixa” ou “alterna a fixação espontaneamente”). No entanto, o teste não se mostrou útil nos graus intermediários. O Teste das 10 DP não melhorou a acurácia do TFP nos pacientes com desvios pequenos, mas permitiu avaliar a preferência de fixação em pacientes com micro-estrabismos nos quais a observação sem o prisma era impossível de ser feita. O estudo corrobora com a idéia de que o TFP não deva ser usado como único instrumento para iniciar ou suspender o tratamento de ambliopia. No entanto, enquanto não existem outros métodos disponíveis, os graus extremos do TFP podem ser usados com maior confiabilidade.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/60475
Arquivos Descrição Formato
000837706.pdf (624.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.