Repositório Digital

A- A A+

Da preordenação para a semantização musical : reflexão e criação

.

Da preordenação para a semantização musical : reflexão e criação

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Da preordenação para a semantização musical : reflexão e criação
Autor Pereira, Flávio Santos
Orientador Chaves, Celso Giannetti Loureiro
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Artes. Programa de Pós-Graduação em Música.
Assunto Composição musical
Preordenação
Semantização musical
[en] Musical semantization
[en] Music composition
[en] Preordination
Resumo Este trabalho expõe a transição estilística por que passou o autor, coincidente com o período do doutoramento. Antes adepto do emprego não ortodoxo das técnicas de preordenação, especialmente as derivadas das técnicas seriais, a privilegiar a sintaxe musical, volta-se o autor para as questões fundamentais da significação em música. Neste processo, experimentou-se, primeiro, a contraposição da elaboração motívico-temática às técnicas seriais. O propósito era o de constituir unidades estruturantes – motivos e temas - sobre a base serial, capazes de assumir funções formais perceptíveis, aptas a conduzir a escuta do ouvinte. Em seguida, fez-se estender o princípio serial à rítmica, num procedimento em que se definia uma rede de relações de proporções tomadas como referência para as decisões ao nível do ritmo. Entretanto, o deslocamento do interesse para as questões da significação musical levou à reflexão e crítica das práticas e estética baseadas na preordenação. A semantização musical passa a ser o motor primordial e principal ordenador das forças organizadoras da textura musical. Esta nova postura composicional impôs a reflexão acerca da técnica musical, e a definição de novas práticas aptas a instaurar os processos de semantização: o princípio da complementaridade cromática, os eixos cromáticos, a elaboração motívico-temática. No processo da transição estilística, na consolidação da nova postura composicional, o autor se apoiou na filosofia de Susanne K. Langer, na análise mitológica-musical de Claude Lévi- Strauss, no pensamento de Leonard Meyer. Igualmente fundamentais foram as categorizações de Jean-Jacques Nattiez, a semântica musical de Michel Imberty e a semiótica musical de Raymond Monelle.
Abstract This Doctoral Dissertation traces the stylistic transition of this author, which coincided with the period of the doctorate. From being adept to the employment of the preordination of unorthodox techniques, especially those derived from serial techniques, this author then focused his work on musical syntax, turning to the fundamental questions of meaning in music. During this process, the contraposition between motivic-thematic development and serial techniques was experienced. The purpose was to provide structural units - motifs and themes - based on the serial techniques that could take audible formal roles, thus leading the attention of the listener. A transition was made in order to extend serial principles to the realm of rhythm, a procedure in which a defined network of relationships of proportions became referential to the decisions at the pace. However, the shift of interest to the issues of musical signification led to the critique of practical and aesthetic issues based on preordination of techniques. The musical semantization became the primary impulse behind the organizational forces of the musical texture. This new position imposed compositional reflections on the musical technique, and led to the definition of new practices that would be able to initiate the process of semantization: the principles of chromatic complementarity, chromatic axes, and motivic-thematic development. In the process of the author’s stylistic transitions and the consolidation of a new compositional approach, the philosophy of Susanne K. Langer, the mythological-musical analysis of Claude Lévi-Strauss, the writings of Leonard Meyer were instrumental. Equally decisive were the categorizations of Jean-Jacques Nattiez, the musical semantics of Michel Imberty and the musical semiotics of Raymond Monelle.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/61727
Arquivos Descrição Formato
000850954.pdf (34.21Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir
000850954-02.pdf (17.41Mb) Anexos Adobe PDF Visualizar/abrir
000850954.zip (37.11Mb) Áudio Arquivo ZIP Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.