Repositório Digital

A- A A+

Até onde você iria por um filho? : representações de gênero e maternidade no cinema

.

Até onde você iria por um filho? : representações de gênero e maternidade no cinema

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Até onde você iria por um filho? : representações de gênero e maternidade no cinema
Autor Azevedo, Paula Tatiane de
Orientador Soares, Rosângela de Fátima Rodrigues
Data 2011
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Especialização em educação, Sexualidade e Relações de gênero.
Assunto Cinema
Gênero
Maternidade
[en] Gender
[en] Motherhood
[en] Movies
Resumo Este trabalho tem como objetivo caracterizar de que forma gênero e maternidade são representados no filme Zuzu Angel (2006), de modo a constituir uma prática materna. Mais especificadamente, perceber quais pedagogias de gênero e maternidade entram em cena durante a película. A metodologia adotada para desenvolver esta pesquisa é a análise textual, pela qual se adotam os pressupostos das teorizações culturais contemporâneas. A seleção das cenas foi feita inspirada nos recursos teórico-metodológicos oriundos dos estudos de mídia, mais precisamente nos apontamentos sobre etnografia de tela. O cinema, aqui, vai além de arte e comunicação; é um produto cultural produzido por práticas sociais e, por isso, atravessado de significados. A partir do movimento da tela, o cinema, como artefato da cultura, vai produzindo, ressignificando e visibilizando representações e significados das práticas sociais, constituindo sujeitos e identidades. Dividiu-se o conjunto de cenas analisadas em três eixos: a mulher e a mãe; a maternidade sagrada; e a responsabilização e a culpabilização materna. Apresento, nesses eixos, os modos pelos quais os fragmentos fílmicos da película Zuzu Angel significam gênero e maternidade, estabelecendo saberes e verdades sobre as práticas maternas. Trata-se, portanto, de problematizar como a narrativa fílmica constrói modos específicos de vivenciar a maternidade.
Abstract This work aims to characterize how gender and maternity are represented in the film Zuzu Angel (2006), in order to provide a motherly practice. More specifically, to understand which gender and motherhood pedagogies step in during the movie. The methodology adopted for this research is the textual analysis, with the assumptions of contemporary cultural theories. The scene selection was made inspired from theoretical and methodological resources of media studies, specifically in the notes on the screen ethnography. The cinema, here, goes beyond art and communication; it is a cultural product produced by social practices and, thus, crossed by meanings. From the movement of the screen, the film, as an artifact of culture, produces, gives new meaning and makes visible representations and meanings of social practices, constituting subjects and identities. The set of scenes analyzed was divided in three axes: the woman and the mother; sacred motherhood; responsibility and blaming the mother. I present in these axes the modes by which the film fragments of Zuzu Angel give meanings to gender and motherhood, establishing knowledge and truths about maternal practices. Thus, it is about questioning how the film narrative builds specific ways of experiencing motherhood.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/61766
Arquivos Descrição Formato
000866174.pdf (398.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.