Repositório Digital

A- A A+

Análise morfológica, imunofenotípica e molecular na identificação da leucemia megacariocítica aguda (LMA-M7)=Morphologic, cytogenetic and molecular analyses in the identification of acute megakaryocytic leukemia (AML-M7)

.

Análise morfológica, imunofenotípica e molecular na identificação da leucemia megacariocítica aguda (LMA-M7)=Morphologic, cytogenetic and molecular analyses in the identification of acute megakaryocytic leukemia (AML-M7)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise morfológica, imunofenotípica e molecular na identificação da leucemia megacariocítica aguda (LMA-M7)=Morphologic, cytogenetic and molecular analyses in the identification of acute megakaryocytic leukemia (AML-M7)
Outro título Morphologic, cytogenetic and molecular analyses in the identification of acute megakaryocytic leukemia (AML-M7)
Autor Farias, Mariela Granero
Biermann, Maristela Bittencourt
Resumo A leucemia megacariocítica aguda (LMA-M7) é um subtipo raro de leucemia mielóide aguda (LMA) que foi recentemente incorporada na classificação Franco-Americana- Britânica (FAB). Ela representa 3% a 5% dos casos de LMA, sendo freqüentemente associada a mielofibrose e retrata um subtipo de mau prognóstico. O diagnóstico da LMA-M7 baseia-se, inicialmente, nas características morfológicas das células leucêmicas. O aspirado de medula óssea, ou biópsia, mostra uma população de células pleomórficas e basofílicas, podendo apresentar projeções citoplasmáticas (blebs). A utilização apenas de critérios morfológicos e citoquímicos não é suficiente para um diagnóstico correto, por isso faz-se necessária uma diferenciação de leucemia megacariocítica aguda com os outros subtipos de leucemia mielóide aguda, principalmente nos casos em que as células blásticas se apresentam indiferenciadas, como é o caso da leucemia mielóide aguda, minimamente diferenciada (LMA-M0), da leucemia mielóide aguda sem maturação (LMA-M1) e da leucemia linfóide aguda, subtipo L1 e L2. Sendo assim, a utilização de técnicas de imunofenotipagem é essencial para o diagnóstico diferencial, pois mostra uma população de células leucêmicas com ausência da maioria dos marcadores linfóides e mielóides de superfície, mas com expressão para os antígenos da linhagem megacariocítica: CD41a (complexo glicoproteíco IIb/ IIIa), CD42b (glicoproteína Ib) e/ou CD61 (glicoproteína IIIa), permitindo uma classificação correta em 98% dos casos. Acrescenta-se também o estudo das anormalidades cromossômicas identificadas por técnicas de citogenética e análise molecular que passa a ser importante para a determinação do prognóstico e definição do regime terapêutico.
Abstract Acute megakaryocytic leukemia (AML-M7) is a rare subtype of acute myeloid leukemia (AML), which has recently been incorporated in the FAB (French-American-British) classification. It represents from 3 to 5% of AML cases, is frequently associated to myelofibrosis and is a subtype with poor prognosis. The diagnosis of AML-M7 is initially based on the morphologic characteristics of leukemic cells. Bone marrow aspirates or biopsy shows a population of pleomorphic and basophilic cells which may present cytoplasmatic blebs. Morphologic and cytochemical criteria are not enough for a correct diagnosis. It is necessary to differentiate acute megakaryocytic leukemia with other subtypes of acute myeloid leukemia mainly in cases in which blast cells are undifferentiated, as are the cases of AML-M0, AML-M1 and of acute lymphoid leukemia, subtypes L1 and L2. The use of immunopherotypic techniques is essential for a differential diagnosis showing a population of leukemia cells with the absence of most surface lymphoid and myeloid markers, yet relevant for the antigen of the megakaryocytic expression: CD41a (complex glycoproteic IIb/IIIa), CD42b (glycoprotein Ib) and/or CD61 (glycoprotein IIIa), there by providing the for correct classification in 98% of the cases. Chromosomal abnormalities identified by cytogenetic techniques and molecular analysis are important for determining the prognosis and definition of the therapheutic regime.
Contido em Revista brasileira de hematologia e hemoterapia = Brazilian journal of hematology and hemotherapy = Journal of Hematology and Hemotherapy. São Paulo. Vol. 29, n. 4 (2007), p. 387-393
Assunto Imunofenotipagem
Leucemia megacarioblástica aguda
Morfologia
[en] Acute megakaryocytic leukemia
[en] Diagnosis
[en] Immunophenotype
[en] Molecular analysis
[en] Morphology
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/62082
Arquivos Descrição Formato
000824340.pdf (77.27Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.