Repositório Digital

A- A A+

Autoajuda e educação : uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas

.

Autoajuda e educação : uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Autoajuda e educação : uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas
Autor Marín-Díaz, Dora Lilia
Orientador Veiga-Neto, Alfredo José da
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Foucault, Michel, 1926-1984
Governo
Prática pedagógica
Sloterdijk, Peter, 1947-
[es] Autoayuda
[es] Foucault, Michel
[es] Governamiento
[es] Individualización
[es] Prácticas de si
[es] Prácticas pedagógicas
[es] Sloterdijk, Peter
Resumo O estudo apresenta a análise de exercícios e técnicas de si promovidos pelos discursos de autoajuda como uma das principais estratégias utilizadas, no último século, na condução da conduta de si e dos outros. Na primeira parte, analisa-se a definição do eu, a procura de sua transformação e o télos da felicidade e do sucesso como eixos articuladores desses discursos. Seguindo esse caminho, destaca-se o uso de noções como aprendizagem e educação permanente que, entre outras, seriam centrais nos discursos educacionais contemporâneos, expressando o atrelamento entre discursos de autoajuda e discursos pedagógicos na produção de ‘eus’ fechados em si mesmos, comprometidos na sua autoprodução e autotransformação constante como capitais humanos. Na segunda parte, identifica-se e descreve-se a proveniência e a emergência de alguns exercícios e técnicas de si, bem como a sua vinculação às práticas pedagógicas. Traça-se a série exercitação-individualização-condução, que permite descrever o phylum técnico que levou as sociedades ocidentais da velha Arete grega à Paideia grega, e no encontro desta última com o pastorado hebraico, à Paideia cristã. O atrelamento do preceito formativo cristão e suas práticas de si — predominante no Medievo, nas formas de vida monacais, ‘governamento’ (regimen) — às técnicas de dominação soberanas — consolidadas nesse mesmo período, ‘reinado’ (dominatio) — marcou o início da Modernidade, e com ela, a estreita vinculação das práticas pedagógicas com práticas de condução. Finalmente, propõe-se que esse longo processo de individualização produziu as condições para uma crise de governamento, expressa na excessiva centralidade do ‘eu’ hoje, que torna cada vez mais difícil viver junto com outros.
Resumen El estudio presenta un análisis de ejercicios y técnicas de si promovidos por los discursos de autoayuda como una de las principales estrategias utilizadas, en el último siglo, para la conducción de la conducta de si y de los otros. En la primera parte, se analiza la definición del yo, la búsqueda de su transformación y el télos de la felicidad y del éxito como ejes articuladores de esos discursos. Siguiendo ese camino, se destaca el uso de nociones como aprendizaje y educación permanente que, entre otras, serian centrales en los discursos educativos contemporáneos, expresando el entrelazamiento entre discursos de autoayuda y discursos pedagógicos para la producción de ‘yos’ encerrados en si mismos, comprometidos en su autoproducción y autotransformación constante en capitales humanos. En la segunda parte, se identifica y se describe la procedencia, la emergencia de algunos ejercicios y técnicas de si y su vinculación con las prácticas pedagógicas. Se traza la serie ejercitaciónindividualización- conducción, que permite describir el phylum técnico que llevaría a las sociedades occidentales de la vieja Arete griega a la Paideia griega, y en el encuentro de esta última con el pastorado hebraico, a la Paideia Cristiana. El entrecruzamiento del precepto formativo cristiano y sus prácticas de si — predominante en el Medioevo, en las formas de vida monacales, ‘governamiento’ (regimen) — con las técnicas de dominación soberanas — consolidadas en ese mismo periodo, ‘reinado’ (dominatio) — marcaría el inicio de la Modernidad, y con ella, una estrecha vinculación de las prácticas pedagógicas con las prácticas de conducción. Finalmente, se propone que ese largo proceso de individualización produjo las condiciones para una crisis de governamiento, expresada en la excesiva centralidad del ‘yo’ hoy, que torna cada vez mas difícil vivir juntos.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/63171
Arquivos Descrição Formato
000869408.pdf (7.545Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.