Repositório Digital

A- A A+

Responsabilidade social corporativa : a evolução e o estágio atual do tema nas subsidiárias brasileira e chinesa do Grupo X

.

Responsabilidade social corporativa : a evolução e o estágio atual do tema nas subsidiárias brasileira e chinesa do Grupo X

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Responsabilidade social corporativa : a evolução e o estágio atual do tema nas subsidiárias brasileira e chinesa do Grupo X
Autor Prates, Caroline Chagas
Orientador Pedrozo, Eugenio Avila
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Programa de Pós-Graduação em Administração.
Assunto Brasil
China
Internacionalização de empresas
Responsabilidade social corporativa
[en] Corporate social responsibility
[en] Emergences countries
[en] Internationalization of companies
Resumo A Responsabilidade Social Corporativa remete ao papel das empresas em proporcionar o desenvolvimento sustentável através da relação justa e adequada com os seus diversos stakeholders. Este relacionamento é um tema de relevo na atualidade, tendo em vista as limitações das organizações governamentais em suprir todas as demandas sociais, principalmente em países emergentes. Buscando aprofundar o referido assunto, esta pesquisa teve como objetivo descrever e analisar a evolução e o estágio atual da Responsabilidade Social Corporativa em empresas internacionalizadas. Optou-se pelo contexto de internacionalização em função da grande exposição que o mesmo propicia às empresas e, também, pela lacuna acadêmica existente na relação entre este processo e a Responsabilidade Social Corporativa. Para tanto, realizou-se uma pesquisa em duas subsidiárias do grupo X, uma situada no Brasil e outra na China, dois países emergentes. A abordagem teórica referente à evolução da Responsabilidade Social Corporativa baseou-se nos estudos de Hoff (2008, 2011), que elucidam uma estrutura analítica para fenômenos path dependents. Para o posicionamento atual da referida temática, foram utilizados os aportes de Steurer et al. (2005) e Maon, Lindgreen e Swaen (2010). A pesquisa histórica mostrou que a Responsabilidade Social Corporativa, em ambas as empresas, evoluiu positivamente com o decorrer do processo de internacionalização. Três constatações de relevo foram extraídas da evolução histórica das empresas estudadas, sendo que a primeira relaciona-se às formas de entrada no mercado internacional que podem variar de acordo com a tríplice controle-risco-flexibilidade. Enquanto as empresas estavam entrando no mercado, através de modos de baixo controle, apenas o pilar econômico estava sendo observado, contudo, a partir da entrada em mercados através de modos de alto controle, houve uma maior homogeneidade entre as dimensões do triple bottom line a entre as subsidiárias. A segunda constatação remete aos requisitos de segunda ordem, tendo em vista que a não-linearidade na evolução ocorreu em função da não observância deles em ambas as empresas. Na subsidiária chinesa, a maior dificuldade foi inicial, tendo em vista a inclinação exclusiva ao pilar econômico; na subsidiária brasileira, esta ponderação ficou evidenciada em meados de 2009, após o ápice da crise mundial, em que a dimensão social foi impactada negativamente em prol da estabilidade econômica. E, a terceira, diz respeito à aprendizagem, em que se verificou uma evolução muito mais célere rumo à internacionalização e à obtenção da Responsabilidade Social Corporativa na subsidiária chinesa. Os resultados referentes ao posicionamento atual, por sua vez, elucidam que os stakeholders internos da subsidiária chinesa apontam uma atuação mais proativa da empresa, enquanto que os da subsidiária brasileira, uma posição mais reativa. A empresa chinesa apresentou uma maior homogeneidade entre as dimensões, indicadores mais objetivos e certificações para controlar os três pilares do triple bottom line. A empresa brasileira evidenciou uma maior discrepância entre as dimensões, muitos indicadores para alguns temas e nenhum controle sobre outros e a não obtenção da certificação social. O posicionamento atual, de uma forma geral, é similar nas duas empresas. Ambas ainda estão inclinadas a vantagens econômicas, o que possibilitou classificá-las na segunda fase de acordo com o modelo estudado, denominada de “compreensão cultural”. No entanto, o posicionamento da chinesa, de acordo com as ponderações dos stakeholders internos, está um pouco à frente, agindo preventivamente às demandas, sendo possível classificá-la no quarto estágio de desenvolvimento, nomeado “busca por capacidade”. A empresa brasileira atua reativamente, procurando apenas atender as exigências já impostas pelo mercado, o que fez com que a sua classificação ficasse no terceiro estágio, de “busca por conformidade”. O processo de internacionalização e a observação dos requisitos de segunda ordem foram os fatores fundamentais que influenciaram tanto a evolução quanto o posicionamento atual das empresas estudadas.
Abstract Corporate Social Responsibility refer to the business’ role in providing sustainable development through fair and appropriate relationship with its various stakeholders. It’s a relevant theme today, given the limitations of government organizations meet all social needs, especially in developing countries. Seeking to deepen the topic, this study aimed to describe and analyze the evolution and the current stage of corporate social responsibility in internationalized companies. Context of internationalization was chosen due to the large exposure that this process gives to the companies and because the academic gap between internationalization process and corporate social responsibility. For this, a study was conducted in two subsidiaries of X Group, one located in Brazil and another in China. The theoretical approach concerning the corporate social responsibility progress was based on studies of Hoff (2008, 2011), which elucidates an analytical framework for phenomena path dependents. For the current positioning, was used theoretical contributions of Steurer et al. (2005) and Maon, Lindgreen e Swaen (2010). Historical research showed that corporate social responsibility in both companies, developed positively over the course of the internationalization process. Three prominent findings were drawn from historical evolution in the subsidiaries studied. The first relates to the forms of international market entry which may vary according to the risk-control-flexibility triple. While companies were entering the market through low control modes, only the economic pillar was being watched. Upon entry into markets through high control modes, there was greater consistency between dimensions. The second point refers to the requirements of the second order, given that the non-linearity in the evolution was due to the non-observance of these. In Chinese’ subsidiary the largest difficulty was initial in order to tilt the exclusive economic pillar. In Brazilian’ subsidiary, this weighting is shown in mid-2009, after the peak of the global crisis, in which the social dimension was negatively impacted for the sake of economic stability. And, the third, is about the learning, which was verified an evolution more fast towards internationalization process and corporate social responsibility in the Chinese’ subsidiary. Current position results, in turn, showed that for internal stakeholders of Chinese’ subsidiary the position is more proactive while for the Brazilian’ company the position is more reactive. Chinese’ company showed greater homogeneity between dimensions, controls more objectives and certifications to manager the three pillars of the triple bottom line. Brazilian’ company showed a greater discrepancy between the dimensions, many indicators to any topics and no one for others and don’t have social certification. The current positioning, in general, is similar in the two studied companies. Both are still prone to economic advantages, which allowed classify them in the “cultural grasp” phase. However, the positioning of the Chinese is slightly ahead, acting proactively to the demands of stakeholders, because of this was possible to classify it in the "capability- seeking" development stage. The Brazilian’ company operates reactively, looking only meet the requirements already imposed by the market. This fact made classify it in "compliance-seeking" development stage. The internationalization process and observing the requirements of the second order were the key factors that influence both the evolution and the current positioning of the companies studied.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/67253
Arquivos Descrição Formato
000873113.pdf (3.480Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.