Repositório Digital

A- A A+

Dexmedetomidine in anesthesia of children submitted to videolaparoscopic appendectomy : a double-blind, randomized and placebo-controlled study

.

Dexmedetomidine in anesthesia of children submitted to videolaparoscopic appendectomy : a double-blind, randomized and placebo-controlled study

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Dexmedetomidine in anesthesia of children submitted to videolaparoscopic appendectomy : a double-blind, randomized and placebo-controlled study
Outro título Dexmedetomidina na anestesia de crianças submetidas à apendicectomia por videolaparoscopia : um estudo duplo cego randomizado e placebo-controlado
Autor Smania, Maria Cristina
Piva, Jefferson Pedro
Garcia, Pedro Celiny Ramos
Resumo OBJETIVOS. Avaliar a resposta hemodinâmica aos estímulos nocicepticos em crianças submetidas à apendicectomia por videolaparoscopia sob anestesia balanceada com isoflorane e dexmedetomidina. MÉTODOS. Estudo randomizado, duplo cego e placebo controlado envolvendo 26 crianças submetidas à apendicectomia por videolaparoscopia no Hospital São Lucas da PUCRS entre maio de 2004 a fevereiro 2005. Os pacientes foram alocados: a) Grupo Dexmedetomidina (n=13), administrada 1μg/kg em 10 minutos e manutenção de 0,5μg/kg/h como coadjuvante à anestesia inalatória com isoforane; b) Grupo Controle (n=13), que recebia solução fisiológica com volume e velocidade de infusão semelhante ao grupo anterior. Durante os diferentes tempos cirúrgicos e anestésicos os grupos foram comparados em relação à freqüência cardíaca, pressão arterial sistólica e diastólica, assim como necessidade de doses suplementares de fentanil. Os grupos foram comparados pelo teste T, Qui quadrado, a ANOVA e Finner. RESULTADOS. Nos momentos de maior estímulo doloroso (entubação, colocação dos trocateres abdominais), a freqüência cardíaca e tensão arterial sistólica aumentaram significativamente (p<0,001) no grupo placebo em comparação ao grupo dexmedetomidina. Houve maior estabilidade hemodinâmica aos estímulos nociceptivos quando a dexmedetomidina foi empregada na complementação anestésica ao isoforane. A necessidade de doses adicionais de fentanil na manutenção dos parâmetros hemodinâmicos estáveis foi semelhante entre os dois grupos. CONCLUSÃO. A dexmedetomidina, utilizada como coadjuvante ao isoforane na anestesia de crianças submetidas à apendicectomia por videolaparoscopia, bloqueia de forma efetiva a resposta hemodinâmica aos estímulos nociceptivos. No entanto, quando comparada ao placebo a dexmedetomidina não modificou a necessidade de doses complementares de fentanil para manutenção de parâmetros hemodinâmicos estáveis, durante o periodo intraoperatório.
Abstract OBJECTIVES. To evaluate the hemodynamic responses to nociceptive stimuli in children submitted to videolaparoscopic appendectomy under balanced anesthesia with isoflurane and dexmedetomidine. METHODS. Randomized, double-blind and placebo-controlled study involving 26 children submitted to videolaparoscopic appendectomy carried out at Hospital São Lucas (PUCRS) between May 2004 and February 2005. Patients were assigned to two groups: (a) Dexmedetomidine group (n=13): infusion of 1μg/kg over 10 minutes and maintenance dose of 0.5μg/kg/ h) as an adjuvant to inhaled isoflurane anesthesia; (b) Control group (n=13): normal saline infusion at a similar rate and volume of the dexmedetomidine infusion. During the different surgical and anesthetic periods, groups were compared regarding heart rate, systolic and diastolic arterial blood pressures as well as need of supplemental fentanyl infusion. Student’s t test, ANOVA, and Finner’s procedure were used for statistical analysis. RESULTS. During the strongest nociceptive stimuli (airway access and abdominal catheter placement), the heart rate and systolic blood pressure increased significantly (p<0.001) in the control group compared to the dexmedetomidine group. Compared to baseline levels, the hemodynamic responses to nociceptive stimuli were more stable when dexmedetomidine was used in combination with inhaled isoflurane anesthesia. The need for supplemental doses of fentanyl and the hemodynamic parameters were similar for both groups. CONCLUSION. Dexmedetomidine combined with inhaled isoflurane for anesthesia of children submitted to videolaparoscopic appendectomy, efficiently blocks the hemodynamic responses to nociceptive stimuli. When compared to placebo, the use of dexmedetomidine did not change the need for supplemental doses of fentanyl for maintenance of hemodynamic parameters during the intraoperative period.
Contido em Revista da Associação Médica Brasileira. São Paulo. Vol. 54, n. 4 (2008), p. 308-313
Assunto Anestesia
Apendicectomia
Dexmedetomidina
Laparoscopia
Pediatria
[en] Alpha adrenoceptor agonist
[en] Appendectomy
[en] Dexmedetomidine
[en] Laparoscopy
[en] Pediatric anesthesia
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/67343
Arquivos Descrição Formato
000686715.pdf (143.7Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.