Repositório Digital

A- A A+

Fatores de risco para asma e rinite alérgica em população de escolares na cidade de Passo Fundo, RS

.

Fatores de risco para asma e rinite alérgica em população de escolares na cidade de Passo Fundo, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Fatores de risco para asma e rinite alérgica em população de escolares na cidade de Passo Fundo, RS
Autor Porto Neto, Arnaldo Carlos
Orientador Menna Barreto, Sérgio Saldanha
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente.
Assunto Asma
Conjuntivite alérgica
Criança
Rinite
[en] Asthma
[en] Children
[en] Epidemiology
[en] ISAAC
[en] Prevalence
[en] Rhinitis
[en] Rhinoconjunctivitis
[en] Risk factors
Resumo Introdução: nas últimas décadas, tem havido aumento na prevalência das doenças alérgicas, como também na sensibilização a aeroalérgenos ou alimentos, fenômenos caracterizados como “epidemia das doenças alérgicas”. Objetivo: determinar os fatores de risco associados a sintomas de asma (sibilância) e rinoconjuntivite, descrevendo a prevalência desses sintomas em crianças escolares do município de Passo Fundo, RS. Método: estudo transversal realizado em alunos de oito a doze anos de idade matriculados em escolas públicas e particulares do ensino fundamental, moradores da zona urbana de Passo Fundo, RS. A amostra representativa dessa população foi escolhida aleatoriamente, e seus pais ou responsáveis responderam questionário escrito padrão do International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC), acrescido de perguntas sobre fatores de risco pessoais, familiares e ambientais (ISAAC fase II). Dessa população inicial, separou-se, aleatoriamente, um subgrupo de crianças (n=878), para realizar testes cutâneos de hipersensibilidade imediata (TCHIs) com alérgenos ambientais e coletar amostras de fezes para exame protoparasitológico. As crianças também foram pesadas, tendo sua estatura aferida e seu índice de massa corporal (IMC) calculado. Resultados: a prevalência de asma ativa foi de 31,2%; de asma diagnosticada, de 16,3%; de asma induzida por exercício, de 14,1%; de asma grave, de 7,4%; de crise aguda severa de asma, de 5,6%. A prevalência de rinite ativa foi de 53%; rinoconjuntivite, 37,6%; rinite diagnosticada, 35%; rinite polínica (hay fever), 27,9%; rinite moderada a grave, 14,7%. A prevalência de eczema ativo foi de 17,8%; de eczema em dobras, 16,8%; de eczema grave, 2,7%. Eram atópicos 487/878 (55,5%), independentemente de serem asmáticos ou não; desses, 84,4% eram polissensibilizados. A maioria (70,2%) dos que tinham asma atual era atópica, sendo somente 9% monossensibilizados. Da mesma maneira, a maioria (83,1%) dos com asma ativa também era atópica (OR = 3,16; IC95%=4,4-7,6). Além disso, os asmáticos atópicos tinham asma mais grave em relação aos não atópicos (OR = 2,39; IC95% = 2,60-7,60). Os fatores de risco siginificativamente associados à asma ativa foram: história materna de asma (OR = 1,75, IC 95%= 1,05-2,87), rinite ativa (OR = 2,07, IC 95%=1,42-3,01), compartilhar quarto no primeiro ano de vida (OR = 2,03, IC 95%= 1,36-3,04), ser atópico (OR = 1,82, IC 95%=1,26-2,50), ter contato com gato intradomiciliar no primeiro ano de vida (OR = 1,73, IC 95%=1,07-2,78), usar paracetamol mais de 12× ao ano nos últimos doze meses (OR=1,68, IC 95= 1,20-2,31)), usar antibiótico com ≤6 meses de vida (OR = 1,57, IC 95%= 1,13-2,17), ter tido bronquiolite com ≤2 anos de vida (OR = 3,11, IC 95%=2,23-4,33), ter nascido de parto prematuro (OR = 1,60, IC 95%=1,02-2,50). Em relação à rinoconjuntivite, os fatores de risco foram: história de eczema no pai (OR = 3,50, IC 95%= 1,05-10,70), rinite no pai (OR= 1,73, IC 95%=1,06-2,82), residência com mofo (OR = 2,09, IC 95%=1,16-3,74), ter morado em casa úmida no primeiro ano de vida (OR = 2,05, IC 95%=1,20-3,48), ter eczema ativo (OR = 1,97, IC 95%=1,16-3,56), ter sensibilidade alérgica a Lolium perenne (OR = 14,03, IC 95%=7,75-25,40), ter sensibilidade a ácaros da poeira doméstica (OR = 2,82, IC 95%=1,77-4,52), ter tido bronquiolite com ≤2 anos idade (OR = 1,78, IC 95%=1,10-2,90). Compartilhar quarto foi fator de proteção para rinoconjuntivite (OR = 0,50, IC 95%=0,32-0,79). Os questionários foram respondidos pelas mães em 83,9%, das quais 42% tinham baixa escolaridade (≤8 anos completos). Cerca de 25% das famílias das crianças tinham renda mensal ≤1 salário mínimo (SM) vigente na época, e 4,4%, renda ≥10 SMs. Um terço dessa população era exposto a mãe fumante, tendo 15% delas afirmado que fumaram durante a gravidez e 18%, durante o primeiro ano de vida da criança. Nasceram de parto cesariano 48,0%; 15,0% eram prematuros e 20,0% da amostra tinham baixo peso (<2,500 g) ao nascer, tendo 2% pesado <1,500 g. Um terço mamou no peito menos de seis meses. Tiveram contato com cachorro dentro de casa no primeiro ano de vida 30%, e somente 12%, com gato intradomicílio. Apenas 7,5% das crianças tiveram contato com animais de fazenda no primeiro ano de vida. Conclusões: a prevalência de asma e rinoconjuntivite está acima da média mundial relatada pelos centros do projeto ISAAC fase II e acima da média nacional medida pelo projeto ISAAC fase III, Brasil. Houve uma importante associação entre asma ativa com a história materna de asma e de antecedentes pessoais atópicos (rinite ativa e atopia). Ter tido bronquiolite com <2 anos de idade foi forte fator de risco para asma ativa aos dez anos de idade. Ao contrário de algumas proposições da hipótese da higiene, contato com animais (gato) dentro de casa e compartilhar dormitório no primeiro ano de vida foram fatores de risco para asma ativa, e não de proteção. Em relação à rinoconjuntivite, igualmente, houve um forte componente genético (familiar) como fator de risco, ao lado do fator ambiental (moradia úmida e com mofo). Ter sensibilidade ao pólen de Lolium perenne mostrou-se forte fator de risco para rinoconjuntivite. Por outro lado, compartilhar quarto se mostrou fator de proteção para rinoconjuntivite na faixa etária de oito a doze anos de idade.
Abstract Introduction: over the last decades the prevalence of allergic diseases has increased, as well as the sensitization to aeroallergens or food, phenomena characterized as "allergic diseases epidemic". Objective: to determine the risk factors associated to asthma symptoms (wheezing) and rhinoconjunctivitis and to describe the prevalence of these symptoms in schoolchildren from the city of Passo Fundo, RS. Method: cross sectional study performed in students from ages nine to twelve, enrolled in public and private elementary schools, residents of the urban zone of Passo Fundo, RS. The sample representing this population was randomly selected. Their parents or responsible persons answered a written questionnaire standard to the International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC), with the addition of questions about personal, familial and environmental risk factors (ISAAC phase II). From this initial population, a subgroup of children (n=878) was selected to perform skin prick tests (SPT) with environmental allergens and to collect stool samples for the protoparasitological exam. The children were also weighed, their height was assessed, and their body mass index (BMI) was calculated. Results: the prevalence of current asthma was 31.2%; diagnosed asthma 16.3%; exercise induced asthma 14.1%; severe asthma 7.4%; severe acute asthma attack 5.6%. The prevalence of current eczema was 17.8%; eczema in folds 16.8%; severe eczema 2.7%. Regardless of being asthmatic or not, 487/878 (55.5%) were atopic; 84.4% of these were polysensitized. Most of the children (70.2%) who had current asthma were atopic and only 9% were monosensitized. Similarly, most of the children (83.1%) with active asthma were also atopic (OR = 3.155; CI 95% = 4.40-7,60). Moreover, the atopic asthmatic children presented more severe asthma compared to the non-atopic ones (OR = 2.39; CI 95% = 2.602-7.603). The factors significantley associated to current asthma were: history of maternal asthma (OR = 1.75, IC 95%=1.05-2.87), current rhinitis (OR = 2.07; IC 95%=1.42-3.0), bedroom sharing during the first year of life (OR = 2.03; IC95%=1.36-3.04), atopy (OR = 1.82; IC 95%=1.26-2.50), indoor contact with cats during the first year of life (OR = 1.73; IC 95%=1.07-2.78), paracetamol use >12× per year over the last twelve months (OR = 1.68; IC 95%=1.20-2.31), antibiotic use ≤6 months of age (OR= 1.57; IC 95%=1.13-2.17), history of bronchiolitis in the first 2 years of life (OR = 3.11; IC 95%=2.23-4.33) and premature birth (OR = 1.60; IC 95%=1.02-2.50). Regarding rhinoconjunctivitis, the risk factors were: history of paternal eczema (OR = 3.35; IC 95%=1.05-10.70), paternal rhinitis (OR = 1.73; IC 95%=1.06-2.82), house with mold (OR = 2.09; IC 95%=1.16-3.75), having lived in a humid house during the first year of life (OR = 2.05; IC 95%=1.21-3.48), having current eczema (OR = 1.97; IC 95%=1.16-3.36), allergic sensitivity to Lolium perenne (OR = 14.0; IC 95%=7.75-25.40), sensitivity to house dust mites (OR = 2.82; IC 95%=1.77-4.52), history of bronchiolitis in the first two years old (OR = 1.78; IC 95%=1.78; IC 95%=1.10-2.90). Sharing a bedroom was a protective factor to rhinoconjunctivitis (OR = 0,50; IC 95%=0.32-0.79). A total of 84.0% of the mothers answered the questionnaires, 42% of which had a low education level (≤eight years of school completed). About 25% of families had a monthly income of ≤1 national minimum wage (NMW) at the time, while 5.0%, had an income of ≥10 NMW. One third of these children were exposed to smoking mothers. Approximately 15% of the mothers affirmed to have smoked during pregnancy, and 18% during the child‟s first year. A total of 48.0% born from C-sections; 15.0% were premature, and 20.0% of the sample had low weight (<2,500 g) upon birth, where 2% weighed <1,500 g. One third was breastfed for less than six months. A total of 30% the individual had contact with dogs inside the house during the first year of life, and only 12% had contact with indoor cat over the same period. Only 7.5% had contact with farm animals during the first year of life. Conclusions: the prevalence of asthma and rhinoconjunctivitis in Passo Fundo is above the world average measured by the ISAAC phase II, and above the national average measured by the ISAAC phase III, Brazil. There is an important association between current asthma with history of maternal asthma and personal atopic background (current rhinitis and atopy). A history of bronchiolitis during the first two years of life was a strong risk factor to current asthma at ten years old. Unlike some proposals of the hygiene hypothesis, the contact with animals (cat) inside the house and sharing a bedroom during the first year of life were risk factors for current asthma, and not protective factors. Concerning rhinoconjunctivitis, there was also a strong genetic component (family) as a risk factor, as well as an environmental component (humid house with mold). Sensitivity to Lolium perenne polen represented a strong risk factor to rhinoconjunctivitis. On the other hand, sharing a bedroom represented a protective factor to rhinoconjunctivitis at eight to twelve years old.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/67518
Arquivos Descrição Formato
000872963.pdf (5.730Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.