Repositório Digital

A- A A+

As rodas de conversa no Hiperdia

.

As rodas de conversa no Hiperdia

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título As rodas de conversa no Hiperdia
Autor Martins, Adriana Regio
Orientador Meira, Fábio Bittencourt
Data 2012
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de Especialização em Gestão em Saúde UAB.
Assunto Reforma sanitária
Saúde
Sistema Único de Saúde
Resumo Este trabalho é um relato de experiência, baseado em encontros dos grupos de saúde do Programa HIPERDIA realizados em um serviço de atenção primária em saúde, em um município do interior do Rio Grande do Sul. O propósito deste estudo está centrado na reflexão sobre o cuidado em saúde em grupos, enfatizando esses encontros como um dispositivo para construção de conhecimento e da saúde como qualidade de vida. O processo de vivência desses/nesses grupos tornou possível a real observação das ações de atenção e gestão do cuidado produzido pelos trabalhadores da saúde neste serviço de atenção primária, revelando fragmentação e o modelo biomédico vigente. Como desafio para a mudança nos processos de trabalho, as rodas de conversa dos grupos de saúde do Programa HIPERDIA apresentam o potencial das vivências e das trocas que afetam o coletivo à incorporação de novas tecnologias de cogestão do cuidado em saúde, resgatando o valor do saber popular, fortalecendo o protagonismo dos sujeitos no SUS, possibilitando a construção de redes de atenção à saúde na perspectiva do conceito ampliado de saúde. O levantamento dos dados para a realização deste estudo contou com a observação da autora-pesquisadora, entrevistas com os usuários que frequentam os grupos, pesquisa documental junto ao programa HIPERDIA, além de matérias postadas sobre esses grupos no site da Rede HumanizaSUS. O arcabouço teórico parte da Educação Popular em Saúde; os movimentos precursores e construtores do Sistema Único de Saúde, a Política Nacional de Humanização; e, as tecnologias leves que possibilitam vínculos como parte imaterial da produção de saúde, o Trabalho Vivo em Ato (MERHY, 2002).
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/67629
Arquivos Descrição Formato
000869824.pdf (1.333Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.