Repositório Digital

A- A A+

Caracterização do tipo de gravidade dos erros de medicação notificados em um hospital universitário

.

Caracterização do tipo de gravidade dos erros de medicação notificados em um hospital universitário

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização do tipo de gravidade dos erros de medicação notificados em um hospital universitário
Autor Martins, Graziela Pena
Orientador Chaves, Enaura Helena Brandão
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Erros de medicação
Segurança do paciente
Resumo Introdução: Os erros de medicação podem trazer danos e prejuízos diversos ao paciente, desde o aumento do tempo de permanência na instituição hospitalar, necessidade de intervenções diagnósticas e terapêuticas até, consequências trágicas, como a morte. No Brasil, não se conhece a magnitude real do problema dos erros de medicação, embora se constitua no quinto país em consumo de medicamentos, o primeiro na América Latina e o nono no mercado mundial farmacêutico em volume financeiro. Objetivo: Caracterizar os erros de medicação notificados em uma instituição hospitalar de alta complexidade em relação ao tipo e a classificação. Metodologia: Estudo quantitativo, de caráter exploratório, documental e retrospectivo, desenvolvido em unidades de internação clínica, cirúrgica e pediátrica de um hospital de ensino. A população do estudo foi composta de 150 formulários de notificação de erros. A coleta de dados deu-se através da utilização dos registros obtidos nos formulários de notificação de erros de medicação coletados pelo Grupo de Uso Seguro (GUS), dispostos em um banco de dados. Os dados foram coletados no período de novembro a dezembro de 2012. Foram analisados através de análise estatística descritiva com frequência absoluta e percentual. Resultados: Obteve-se um total de 116 notificações de erros de medicação. Constatou-se que 43,51% foram classificados como erros de prescrição médica, 40,74% como erros de administração, 9,25% como erro de dispensação e 6,48% como erro de combinação. Quanto à gravidade dos erros de medicação, 15,5% foram classificados na categoria A, 35,3 %, na categoria B, 23,3%, na categoria C, 10,3%, na categoria D, 12,9% na categoria E, 2,6% na categoria F. Não foram encontrados registros de erros de medicação que se enquadram nas categorias G, H e I. Conclusão: Foi possível avaliar os tipos e a gravidade de erros de medicação ocorrido em um hospital universitário. Salienta-se a necessidade de realizar mais estudos sobre a temática.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/69749
Arquivos Descrição Formato
000872977.pdf (2.284Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.