Repositório Digital

A- A A+

Caracterização de gestantes por ganho de peso excessivo e seus neonatos por peso de nascimento e Apgar

.

Caracterização de gestantes por ganho de peso excessivo e seus neonatos por peso de nascimento e Apgar

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização de gestantes por ganho de peso excessivo e seus neonatos por peso de nascimento e Apgar
Autor Santos, Kelen Cristina Ramos dos
Orientador Breigeiron, Marcia Koja
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Gravidez
Peso ao nascer
[en] Birth weight
[en] Pregnancy
[en] Prenatal nutrition
Resumo O ganho de peso gestacional excessivo pode estar associado ao peso ao nascer que, por sua vez, quando elevado, pode resultar em níveis mais altos de adiposidade na infância e até mesmo na vida adulta. Este estudo teve como objetivo caracterizar gestantes quanto ao ganho de peso corporal excessivo e seus neonatos quanto ao peso de nascimento e Apgar. Trata-se de um estudo transversal com análise descritiva, consistindo em um subprojeto da pesquisa Ganho de peso gestacional e risco de sobrepeso/obesidade de lactentes acompanhado em Unidade de Saúde. O projeto maior encontra-se aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e o presente estudo foi aprovado pela Comissão de Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O período de coleta ocorreu de setembro a novembro de 2012. A amostra foi constituída de 10 puérperas internadas na Unidade de Internação Obstétrica (UIO), que fizeram suas consultas de pré-natal na UBS Santa Cecília, e seus filhos nascidos no Centro Obstétrico/HCPA. Conforme os resultados encontrados, a idade média das puérperas foi de 26,0 (DP=4,3) anos, e a raça branca (70%; n=7) foi a mais prevalente. Das demais variáveis estudadas, houve predomínio de multíparas (60%; n=6) e sedentárias (70%; n=7), baixo rendimento familiar, mais de seis consultas pré-natal (80%; n=8); 60% (n=6) mantiveram-se empregadas durante a gestação; e 70% com escolaridade entre ensino fundamental e médio, completos ou incompletos. Do total da amostra, 40% das puérperas apresentaram estado nutricional alterado no período pré-gestacional e 70% obtiveram ganho ponderal inadequado (50% com ganho excessivo e 20% com ganho insuficiente). Para 70% (n=7), o parto foi vaginal. Os neonatos foram, em sua maioria, do sexo feminino (60%; n=6), adequados para a idade gestacional (80%; n=8), com percentis entre 10 e 90 para estatura e perímetro cefálico. Porém, recém-nascidos classificados como PIG e GIG corresponderam a 10%, respectivamente. Os índices referentes ao Apgar foram similares para todos os neonatos, com média de 9 e 9, no primeiro e no quinto minuto. Os achados do estudo sugerem não haver influência do ganho ponderal materno sobre o peso dos neonatos. Conforme os resultados encontrados, recomenda-se que os profissionais de saúde devem estar atentos tanto aos desvios nutricionais quanto ao ganho ponderal excessivo na gestação, com o intuito de evitar possíveis agravos à saúde materna e infantil.
Abstract The excessive gestational weight gain may be associated with birth weight which, in turn, when high, may result in higher levels of adiposity in childhood and or even adulthood. This study aims to characterize pregnant women as weight gain excessive body and their newborns according to birth weight and Apgar. This is a subproject of research Gestational weight gain and risk of overweight/obesity in infants accompanied in Unity Health. The base project was approved by the Research Ethics Committee of the Hospital Clinics Porto Alegre (HCPA) and the present study was approved by commission Research of School Nursing of the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS). The collection period occurred from september to november 2012. The sample consisted of 10 women interned in obstetric internment unit (UIO), who made their prenatal consultations at UBS Santa Cecilia, and their children born in the Obstetric Center / HCPA. As found results, the average age of mothers was 26.0 (SD = 4.3) years and white race (70%, n = 7) was the most prevalent. Of the other variables studied was predominantly multiparous (60%, n = 6) and sedentary (70%, n = 7), low household income, more than six prenatal visits (80%, n = 8), 60% (n = 6) remained employed during pregnancy, and 70% with schooling between elementary and high school, complete or incomplete. Of the total sample, 40% of mothers had altered nutritional status in prepregnancy and 70% had inadequate weight gain (50% with excessive gain and 20% with insufficient gain). For 70% (n = 7), the delivery was vaginal. Neonates were mostly female (60%, n = 6), appropriate for gestational age (80%, n = 8), with between 10 and 90 percentiles for height and head circumference. However, newborns classified as small for gestational age and large for gestational age corresponded to 10%, respectively. The indices for the Apgar were similar for all neonates with a mean of 9 and 9 at one and five minutes. The study findings suggest no influence of maternal weight gain on weight of neonates. The findings suggest that health professionals should be alert both to nutritional problems how much to excessive weight gain during pregnancy, in order to avoid possible damage to maternal and fetal health.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/69751
Arquivos Descrição Formato
000872984.pdf (1.181Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.