Repositório Digital

A- A A+

Satisfação com a vida e desempenho funcional de idosos em uma unidade de saúde da família de Porto Alegre-RS

.

Satisfação com a vida e desempenho funcional de idosos em uma unidade de saúde da família de Porto Alegre-RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Satisfação com a vida e desempenho funcional de idosos em uma unidade de saúde da família de Porto Alegre-RS
Autor Severino, Renata da Silveira Pia
Orientador Rosset, Idiane
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Idosos
Satisfação com a vida
Resumo O presente estudo teve por objetivo geral avaliar a satisfação com a vida e o desempenho funcional dos idosos de uma micro-área da Estratégia da Saúde da família Nossa Senhora de Belém de Porto Alegre/RS. Foi realizado um estudo transversal descritivo, de natureza quantitativa. A amostra foi de conveniência com um total de 85 idosos. A coleta de dados foi realizada nas residências dos participantes por meio de um instrumento formulado para a pesquisa. A análise dos dados foi realizada com o auxílio do programa SPSS for Windows, versão 18.0. O projeto foi aprovado pela Comissão de Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pelo Comitê de Ética da Prefeitura de Porto Alegre. Foi fornecido aos entrevistados um termo de consentimento livre e esclarecido. Houve um predomínio de mulheres e de faixa etária de 60 a 69 anos; a idade média foi de 70 anos (±7,1). A média de anos de estudo foi de 6,3 (±4,6) e 43,5% tinham até 4 anos de estudo. A maior parte (35,3%) era casado e 67% dos domicílios tinham como responsáveis o próprio idoso. O escore médio obtido no MEEM foi de 24,9 (±2,7). Em relação à satisfação com a vida 52,9% a classificou como boa. A média do Índice de Barthel foi de 96,6 (±7,92) e do teste Timed Up and Go 15,4 (±14,4). O desempenho cognitivo e funcional de acordo com a satisfação com a vida teve escores médios no MEEM de 27 (±2,7), 24,5 (±4,1) e 23,7 (±4,5), para as respectivas categorias muito boa, boa e regular, apresentando diferença estatisticamente significativa. Já o desempenho funcional obteve médias decrescentes em relação às categorias descritas, porém não verificou-se diferença estatisticamente significativa. Nas atividades básicas de vida diária, 72,9% apresentou independência completa e 32,9% independência para a mobilidade. Acredita-se que este estudo possa contribuir para direcionar e melhorar o planejamento de estratégias e ações de enfermagem voltadas para a população idosa na unidade saúde local.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/69783
Arquivos Descrição Formato
000873051.pdf (973.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.