Repositório Digital

A- A A+

Economia da cultura em perspectiva institucional : mecenato no empresariado urbano-industrial ascendente (1947-1960)

.

Economia da cultura em perspectiva institucional : mecenato no empresariado urbano-industrial ascendente (1947-1960)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Economia da cultura em perspectiva institucional : mecenato no empresariado urbano-industrial ascendente (1947-1960)
Autor Valiati, Leandro
Orientador Fonseca, Pedro Cezar Dutra
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto Economia da cultura
Economia institucional
História econômica
[en] Brazilian industrial entrepreneur
[en] Cultural economics
[en] History economics
[en] Institutional economics
[en] MASP
[en] Patronage
Resumo Essa tese aborda o empresário industrial ascendente no contexto da urbanização e industrialização do Brasil sob a perspectiva da prática do mecenato. Tal ação, catalisada pelo desejo, nesse segmento social, de distinção, respondeu a instituições presentes no ambiente de transformação socioeconômica brasileira na primeira metade do século XX. Trata, portanto, de Economia da Cultura, História Econômica e Economia Institucional, propondo a justaposição instrumental de arcabouços teóricos construídos nesses três campos da ciência econômica. O núcleo duro dos pressupostos aqui assumidos é o de que a instalação do setor urbano-industrial brasileiro no período em estudo foi liderada, em sua maior parte, por imigrantes convertidos em empresários industriais, que capitanearam a prática do mecenato para afirmar sua condição de protagonismo social como uma nova elite. A hipótese do trabalho é a de que o mecenato brasileiro no período posterior à Segunda Guerra Mundial (1947-1960) teve como protagonistas membros desse segmento social. Essa nova elite, ligada à indústria e negócios urbanos, teve papel ativo e preponderante no financiamento à cultura em relação à oligarquia agrária, de riqueza mais antiga e enfrentando decadência econômica. Para esse fim, garantindo foco ao estudo, serviram como referencial de análise o contexto da cidade de São Paulo e a identificação empírica dos doadores que formaram o acervo do Museu de Arte de São Paulo (MASP), efetivada dentro do período em estudo. Para fundamentação e comprovação dessa hipótese foram acionados como estratégia heurística: a) na esfera teórica, os conceitos da Sociologia da Cultura de Pierre Bourdieu e da Economia Institucional de Thorstein Veblen, balizados por uma revisão teórica das origens étnicas, sociais e atuação econômica do empresário industrial brasileiro; b) na esfera empírica, uma pesquisa de campo no acervo do MASP, identificando todas obras doadas ao museu dentro do período estudado e enquadrando em tipologias de segmentos sociais os respectivos doadores. Os resultados obtidos nesse trabalho forneceram elementos para corroborar a hipótese da tese, emergindo como corolário que a busca por afirmação social de novas elites de renda, através da distinção simbólica e consumo conspícuo, como resposta a instituições de uma sociedade urbana e industrial é componente relevante para compreendermos o mecenato no Brasil no período estudado.
Abstract This thesis discusses the ascending industrial entrepreneur in the context of Brazilian urbanization and industrialization under the perspective of patronage practices. Such action, catalyzed by the wish, in this specific social segment, of distinction, responded to institutions established in the ambience of Brazilian socio-economic transformation in the XX century’s first half. It discusses, therefore, Cultural Economics, History Economics and Institutional Economics, and proposes the instrumental juxtaposition of theoretical framework constructed in these three fields of Economy Science. The hard core of here assumed presuppositions is that the installation of Brazilian urban-industrial sector in the studied period was, in its most part, leaded by immigrants converted to industrial entrepreneurs, who commanded the practice of patronage to affirm their social protagonist condition as a new elite. This work’s hypothesis is that Brazilian patronage in the period immediately after the Second World War (1947-1960) had members of this social segment as protagonists. This new elite, connected to industry and urban affairs, played an active and preponderant role in the financing of culture, in relation to the agrarian oligarchy, of ancient richness and facing economical decadence. For this purpose, the context of the city of São Paulo and the empirical identification of donators who have constituted the collection of the Museum of Art of São Paulo (MASP) from 1947 to 1960 served as reference for analysis. In order to ground and validate this hypothesis, the following strategies have been assumed : a) in the theoretical sphere, the concepts of Pierre Bourdieu’s Sociology of Culture and Thorstein Veblen’s Institutional Economy, delimited by a theoretical review of ethnic and social origins as well as economic praxis of Brazilian industrial entrepreneur; b) in the empirical sphere, a field research in the MASP collection, identifying all works donated to the museum in the studied period and framing their respective donators in typologies of social segments. The results achieved in this work have provided elements to corroborate the hypothesis of the thesis, emerging as corollary that the pursuit of social affirmation by new income elites, through symbolic distinction and conspicuous consumption, as an answer to institutions of an urban and industrial society is a relevant component to comprehend Brazilian patronage in the studied period.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/69993
Arquivos Descrição Formato
000874625.pdf (4.097Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.