Repositório Digital

A- A A+

Instituições e segregação econômica no Brasil (1850-1914)

.

Instituições e segregação econômica no Brasil (1850-1914)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Instituições e segregação econômica no Brasil (1850-1914)
Autor Pereira, Thales Augusto Zamberlan
Orientador Fonseca, Pedro Cezar Dutra
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto Brasil
Desenvolvimento econômico
Desigualdade social
Economia institucional
Escravidão
História econômica
Poder político
[en] Immigration
[en] Inequality
[en] Institutions
[en] Slavery
Resumo O objetivo desta dissertação é analisar como o acesso desigual ao poder político no Brasil afetou a distribuição de recursos econômicos para diferentes grupos sociais. A partir da Lei de Terras e do fim do tráfico de escravos, em 1850, até o término da chamada primeira globalização, em 1914, imigrantes europeus e a população negra foram o centro do debate sobre quem seriam os trabalhadores brasileiros. Como instituições políticas afetam a distribuição de recursos econômicos, este trabalho busca identificar, através da Nova Economia Institucional, quais grupos foram beneficiados ou prejudicados pela estrutura institucional brasileira. A evidência qualitativa demonstra que o governo brasileiro teve um importante papel na discriminação de grupos sociais, limitando acesso a direitos políticos e oportunidades econômicas. A evidência quantitativa demonstra que instituições econômicas tiveram um impacto de longo prazo na disparidade de renda no Brasil que perdurou ao longo do século XX.
Abstract The objective of this dissertation is to analyze how an unequal access to political power affected the distribution of economic resources to different social groups. From the land law and the end of slave trade, in 1850, until the conclusion of the first globalization, in 1914, European immigrants and the black population were at the center of the debate regarding who would be the Brazilian workforce. As political institutions impacts economic resources’ distribution, this work aims to identify, using the New Institutions Economics, which groups had advantages and disadvantages regarding the Brazilian’s institutional structure. Qualitative evidence demonstrates that Brazilian government had an important role on the discrimination of social groups, limiting access to political rights and economic opportunities. Quantitative evidence shows that economic institutions had a long run impact on Brazilian income inequality that persisted through the 20th century.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/70020
Arquivos Descrição Formato
000863454.pdf (1.663Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.