Repositório Digital

A- A A+

Nanoemulsões para administração parenteral de fármacos

.

Nanoemulsões para administração parenteral de fármacos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Nanoemulsões para administração parenteral de fármacos
Autor Wild, Luisa Bartmann
Orientador Teixeira, Helder Ferreira
Co-orientador Bruxel, Fernanda
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Medicação parenteral
Nanoemulsões
Resumo Nanoemulsões são sistemas nanométricos em que gotículas de óleo estão dispersas em uma fase contínua aquosa. A maior aplicação destes sistemas encontra-se na possibilidade de administrar substâncias de reduzida hidrossolubilidade intravenosamente, além de apresentarem a possibilidade, através de ligantes específicos, de direcionar os compostos veiculados a locais de interesse. Assim, foi realizada uma revisão na literatura, em busca de fármacos incorporados em nanoemulsões, de uso parenteral, e que estão presentes no mercado ou são potenciais candidatos. Dentre os resultados mais relevantes, encontram-se: a) a aclacinomicina A, que está veiculada em nanoemulsões contendo PEG-folato, aumentando o efeito citotóxico através do direcionamento a células tumorais; b) a anfotericina B, que por estar incorporada nessas gotículas, permanece no estado monomérico; c) a camptotecina e seus pró-fármacos, com elevada retenção nesses sistemas e protegidos da degradação enzimática; d) a carbamazepina, que alcançou maior permeabilidade através da barreira hematoencefálica; e) a claritromicina, que apresentou uma redução na incidência da dor no local de administração, quando incorporada nas nanoemulsões; f) a dexametasona, que foi detectada em elevadas concentrações no tecido inflamado; g) a morfina, que demonstrou prolongada atividade antinoceptiva; h) o paclitaxel, que somou a vantagem da formulação à associação com outras substâncias no interior das gotículas, aumentando o efeito citotóxico; i) o propofol, que com um núcleo oleoso diferente da formulação disponível no mercado, apresentou maior aceitabilidade pelos pacientes; j) e enfim a prostaglandina E1, que reduziu sua dose efetiva em cerca de dez vezes com a incorporação em nanoemulsões. No seu conjunto esta revisão evidencia o interesse da incorporação de moléculas de reduzida hidrossolubilidade em nanoemulsões.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/70083
Arquivos Descrição Formato
000777694.pdf (265.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.