Repositório Digital

A- A A+

Modelos in vitro para previsão de absorção gastrintestinal empregados no desenvolvimento de novos fármacos

.

Modelos in vitro para previsão de absorção gastrintestinal empregados no desenvolvimento de novos fármacos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Modelos in vitro para previsão de absorção gastrintestinal empregados no desenvolvimento de novos fármacos
Autor Galves, Fernanda Rodrigues
Orientador Dalla Costa, Teresa Cristina Tavares
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Desenvolvimento de fármacos
Farmacocinética
Medicamentos : Absorção
[en] Absorption
[en] Caco-2
[en] Models in vitro
[en] PAMPA
[en] PBPK
[en] TIM
Resumo O desenvolvimento de candidatos a fármacos e o screening de novas moléculas pela indústria farmacêutica requer a utilização de ferramentas que facilitem e auxiliem a previsão de propriedades farmacocinéticas como a absorção oral, uma vez que a inadequação da biodisponibilidade oral é um dos principais motivos de descarte de candidatos a fármacos em fase de desenvolvimento. Modelos de absorção in vitro são utilizados em estágios iniciais de desenvolvimento com a finalidade de prever a permeabilidade e assim estimar a absorção in vivo das moléculas sob investigação. Para esta mini-revisão foram pesquisados alguns modelos de absorção in vitro descritos na literatura objetivando verificar e comparar suas características e capacidade de previsão da absorção gastrintestinal em animais e humanos. Células de adenocarcinoma de cólon humano (Caco-2) e ensaio de permeação em membrana artificial paralela (PAMPA) são os modelos in vitro mais descritos na literatura e mais utilizados pela indústria farmacêutica, sendo usados em conjunto ou isoladamente. Outros modelos, como sistema gastrintestinal (TIM) e modelos matemáticos com abordagem fisiológica (PBPK) para descrever os resultados de experimento ex vivo de intestino perfundido de ratos, fornecem dados da estabilidade, liberação, dissolução e absorção de fármacos a partir de formas farmacêuticas, sendo empregados menos frequentemente em fase de desenvolvimento.
Abstract The development of drug candidates and the screening of new molecules by the pharmaceutical industry requires the use of tools that facilitate and assist researchers in predicting pharmacokinetic properties such as in vivo oral absorption since inappropriate pharmacokinetic properties are major reasons for dropping out of drugs candidates during drug discovery and development. In vitro absorption models are used viewing to predict drug permeability and thus estimate its oral uptake in the early stages of development. In this minireview some absorption in vitro models were investigated aiming to verify and compare their characteristics and ability on predicting gastrointestinal absorption in animals and humans. Cells from human colon adenocarcinoma (Caco-2) and parallel artificial membrane permeability assay (PAMPA) are the in vitro models more described in the literature and more frequently used by the pharmaceutical industry, in combination or isolated. Other models such as the gastrointestinal tract system (TIM) and physiologically based pharmacokinetic modeling (PBPK) approach to describe the results of experiments ex vivo of perfused rat intestine, provide data on drug stability, release, dissolution and absorption from dosage forms, being less frequently employed during drug development.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/70138
Arquivos Descrição Formato
000821936.pdf (289.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.