Repositório Digital

A- A A+

Amplitude de movimento e desequilíbrios na articulação do tornozelo em atletas de ginástica artística, ginástica rítmica e meninas não atletas

.

Amplitude de movimento e desequilíbrios na articulação do tornozelo em atletas de ginástica artística, ginástica rítmica e meninas não atletas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Amplitude de movimento e desequilíbrios na articulação do tornozelo em atletas de ginástica artística, ginástica rítmica e meninas não atletas
Autor Santos, Daniela dos
Orientador Vaz, Marco Aurelio
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Ginástica artística
Ginástica rítmica
Tornozelo
Resumo Introdução: A demanda funcional decorrente do treinamento desportivo pode alterar o balanço normal articular entre musculaturas antagonistas, sendo um fator predisponente a lesões. Atletas de ginástica artística (GA) e ginástica rítmica (GR) desempenham diversos movimentos em flexão plantar (FP), o que pode causar alterações na amplitude de movimento articular (ADM) e desequilíbrios na capacidade de produção de força na musculatura do tornozelo. Objetivos: Avaliar e comparar a ADM e as razões de torque convencionais do tornozelo entre atletas juvenis de GA, de GR e meninas não atletas (MNA). Métodos: Participaram 10 GA (11,7±1,06), 10 GR (12,4±1,35) e 10 MNA (11,7±1,49). A ADM do tornozelo foi medida no membro dominante por um goniômetro com as meninas sentadas e o joelho mantido estendido (0°). Os torques máximos concêntrico de FP e flexão dorsal (FD) foram avaliados em 60°/s e 120°/s. As razões foram obtidas por meio do quociente entre o torque de FD e FP. Resultados: A ADM de FP foi significativamente maior nas ginastas, ao contrário da ADM de FD a qual foi maior nas MNA. As razões de torque, nas duas velocidades, foram menores nas ginastas, comparadas às MNA. Conclusões: Devido à especificidade do treinamento, atletas de GA e GR apresentam menores valores de ADM de FD e razões de torque do tornozelo, o que pode estar relacionado a um maior risco de lesões na articulação do tornozelo.
Abstract Introduction: The functional demands resulting from sports training can change the normal balance between antagonist muscles, turning into a predisposing injury factor. Athletes of artistic gymnastics (AG) and rhythmic gymnastics (RG) perform varying movements in plantar flexion (PF), which can lead to changes in range of motion (ROM) and imbalances in ankle muscle strength capacity. Objectives: To compare the ROM and ankle torque ratios between AG, RG and non-athlete girls (NAG). Methods: 10 AG (11.7 ± 1.06 years), 10 RG (12.4 ± 1.35 years) and 10 NAG (11.7 ± 1.49 years). Ankle ROM was measured in the dominant limb using a goniometer, while girls were seated and knee was fully extended (0°). The maximum torques of concentric PF and dorsiflexion (DF) were assessed at 60°/s and 120°/s. DF/PF ratios were computed from maximum torque values. Results: PF ROM was significantly greater in gymnasts, differently to DF ROM which was larger in NAG. Torque ratios at both speeds were lower for gymnasts compared to NAG. Conclusions: Due to the specificity in training, AG and RG athletes had lower values of DF ROM and ankle torque ratios, which may be related to increased injury risk at the ankle joint.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/70295
Arquivos Descrição Formato
000875905.pdf (1.083Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.