Repositório Digital

A- A A+

A influência de um programa de ginástica ritimica sobre o desenvolvimento motor e a percepção de competência de crianças

.

A influência de um programa de ginástica ritimica sobre o desenvolvimento motor e a percepção de competência de crianças

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A influência de um programa de ginástica ritimica sobre o desenvolvimento motor e a percepção de competência de crianças
Autor Azevedo, Kelly Andara de
Orientador Palma, Miriam Stock
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Desenvolvimento motor : Criança
Ginástica rítmica
Resumo A iniciação esportiva começa cada vez mais cedo na vida das crianças. Por diversos motivos, pais levam seus filhos, das mais diferentes idades, a escolas infantis, como por exemplo, escolinha esportiva de ginástica rítmica. Para praticar com motivação esse esporte, como qualquer outro, é necessário que ela se sinta competente para aquilo. Nessa perspectiva, e considerando a importância do desenvolvimento de um repertório motor amplo em crianças, o objetivo do presente trabalho é verificar a influência de um programa de iniciação à ginástica rítmica sobre o desenvolvimento motor e a percepção de competência de crianças. Participaram do estudo 18 meninas, com idades entre 7 e 10 anos, matriculadas em uma escola particular de Porto Alegre, divididas em dois grupos. O grupo 1 é composto por estudantes participantes do programa de educação física escolar, concomitantemente ao de iniciação a ginástica rítmica, e o grupo 2, por participantes apenas do mesmo programa de educação física. Foram utilizados três instrumentos para a coleta dos dados: para analisar o desenvolvimento motor foi aplicado o Test of Gross Motor Development – Second edition (TGMD-2), de Ulrich (2000); para verificar a prática sistemática de atividade física foi utilizado um questionário adaptado de Palma (2008); e para avaliar a percepção de competência, a Escala de Autopercepção de Harter (1985). Os resultados apontam uma diferença estatisticamente significativa no desenvolvimento motor, tanto nas habildades locomotoras, quanto nas habilidades de controle de objetos como no coeficiente motor amplo, tendo uma superioridade do grupo 1. Quanto à percepção de competência, não encontramos diferença estatisticamente significativa entre os grupos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/70313
Arquivos Descrição Formato
000875699.pdf (627.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.