Repositório Digital

A- A A+

Narrativas e percursos escolares de jovens e adultos com deficiência : "Isso me lembra uma história!"

.

Narrativas e percursos escolares de jovens e adultos com deficiência : "Isso me lembra uma história!"

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Narrativas e percursos escolares de jovens e adultos com deficiência : "Isso me lembra uma história!"
Autor Haas, Clarissa
Orientador Baptista, Cláudio Roberto
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Educação de jovens e adultos
História oral
Inclusão escolar
Narrativa
[en] Education of young adults and adults (EJA)
[en] Life trajectories
[en] Narratives
[en] Special education
[en] Systems thinking
[es] Educación especial
[es] Educación para jóvenes y adultos (EJA)
[es] El pensamiento sistémico
[es] Historias de vida
[es] Narraciones
Resumo A presente pesquisa analisa a interlocução entre a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e a Educação Especial, por meio da construção de narrativas associadas às trajetórias de vida de três jovens com deficiência, matriculados na EJA, na Rede Pública Estadual de Ensino do Rio Grande do Sul, em escolas localizadas no município de Porto Alegre. A partir dos pressupostos da metodologia de história oral, a entrevista aberta foi utilizada como instrumento de pesquisa, tendo, como foco principal, as trajetórias escolares desses sujeitos. Integram ainda as ações da pesquisa: a análise dos indicadores numéricos do Censo Escolar da Educação Básica (anos 2010 e 2011) referentes à Educação Especial na Rede Estadual de Ensino do RS; a visitação e a observação em quatro escolas estaduais que apresentam número elevado de matrículas de pessoas com deficiência na Educação de Jovens e Adultos; a pesquisa exploratória sobre as produções acadêmicas, envolvendo temáticas atinentes à pesquisa. A abordagem sistêmica do pensamento científico constitui os pilares de sustentação teórica desta pesquisa, prioritariamente, as investigações feitas pelos estudiosos Gregory Bateson e Humberto Maturana. Após a transcrição das entrevistas, foram identificados, como eixos para a análise, os processos de estigmatização do Eu; as relações interpessoais (o eu e o outro); os percursos de escolarização e as possibilidades de Ser dos sujeitos. A construção das narrativas foi aliada à discussão das concepções de memória e temporalidades e de identidades individuais e coletivas, a partir do diálogo com os pressupostos da metodologia de história oral e do pensamento sistêmico. A construção das narrativas possibilitou as seguintes considerações: a necessidade de olhar o jovem e o adulto com deficiência além de suas condições orgânicas e de vê-los como sujeitos que têm possibilidades amplas e singulares de viver e aprender e que estas são afetadas pelo contexto social em que estão inseridos; o entendimento de que as trajetórias humanas dos jovens e adultos com deficiência, influenciadas pela cultura e pela linguagem, mostram que as necessidades e anseios desses jovens estão muito próximos das necessidades e anseios dos jovens do grupo social do qual fazem parte; a observação da importância atribuída pelos sujeitos aos processos de comunicação que lhes permitam desenvolver a relação de pertencimento e a participação social; a afirmação da influência dos processos estigmatizadores na restrição das possibilidades desses sujeitos, tanto na dimensão individual como na coletiva; a percepção do fracasso escolar como marca no percurso de escolarização desses sujeitos, reafirmando a constatação histórica de que o ensino exclusivamente especializado não tem cumprido o papel de ser uma etapa transitória na vida desses alunos; da repetição, no ensino comum, de estratégias que indicam a suposta incapacidade desses sujeitos e que são visíveis a partir da configuração de “arranjos escolares”, como a oferta da EJA no turno diurno; a premência de políticas públicas que confiram visibilidade à reflexão e à ação sobre a oferta do Atendimento Educacional Especializado (AEE) para jovens e adultos com deficiência; a necessidade de potencializar o diálogo entre as áreas da Educação Especial e da Educação de Jovens e Adultos, para o enfrentamento coletivo e multidisciplinar das situações desafiadoras que se apresentam.
Abstract This study analyzes the interlocution between Education of Young Adults and Adults (EJA) and Special Education through the construction of narratives associated with the life trajectories of three young people with disabilities enrolled in the EJA program of the Public Education Network of the State of Rio Grande do Sul, in schools located in the city of Porto Alegre. From the assumptions of the oral history methodology, the open interview was used as a research tool, focusing mainly on the school trajectories of these subjects. The following actions are also part of this research: the analysis of numeric indicators of the Basic Education Census (2010 and 2011) regarding Special Education in schools of the public education network of the State of RS; visitations and observations carried out in four state schools with a high number of enrollments of people with disabilities in the EJA program, and exploratory research of the academic work related to this theme. The systemic approach of the scientific thought constitutes the theoretical pillar of this research, particularly the investigations conducted by the scholars Gregory Bateson and Humberto Maturana. After the transcription of the interviews, the following items were identified as axis for the analysis: the processes of stigmatization of the self; interpersonal relationships (the self and others); the paths of schooling and the possibilities of being of the subject. The construction of narratives was linked to the discussion of the concepts of memory and temporality and of individual and collective identities, based on dialog, with the assumptions of the oral history methodology and systems thinking. The construction of narratives allowed the following considerations: the necessity of looking beyond the organic conditions of young adults and adults with disabilities and of seeing them as individuals with extensive and unique opportunities to live and learn, affected by the social context in which they are inserted; the understanding that the human trajectories of young adults and adults with disabilities, influenced by culture and language, shows that their needs and desires are closely related to the needs and aspirations of the young people of the social group to which they belong; the observation of the importance attributed by the subjects to the communication processes which enable them to develop a belonging relationship and social interaction; the assertion of the influence of the stigmatizing processes in restricting the possibilities of these subjects, both in the individual and the collective dimensions; the perception of school failure as a stain in the education processes of the subjects, reaffirming the historical finding that the exclusively specialized education has not fulfilled the role of transitory stage in the life of these students; the repetition, in the common education, of strategies indicating the supposed inability of these subjects, visible from the setting of “arranging school” such as the EJA day shift; the urgency of public policies giving visibility to the reflection and the action on the provision of Specialized Care Education (AEE) for young adults and adults with disabilities; the necessity to strength the dialogue between the areas of Special Education and Education of Young Adults and Adults, to the collective and multidisciplinary confrontation of the challenging situations.
Resumen Este estudio analiza la interacción entre la Educación para Jóvenes y Adultos (EJA) y La Educación Especial, a través de la construcción de narrativas basadas en experiencias de vida de 3 jóvenes con discapacidad, matriculados en la educación para adultos, en la Red Estatal de Educación Pública de Rio Grande do Sul, en escuelas ubicadas en la ciudad de Porto Alegre. Partiendo de los presupuestos contemplados en la metodología de la historia oral, se utilizó la entrevista abierta como una herramienta de investigación, con el objetivo principal de alcanzar a las trayectorias escolares de estos sujetos. Integran también esta investigación: análisis de los datos numéricos de la Educación Básica (2010 y 2011), relacionados con la Educación Especial en las escuelas públicas de Rio Grande do Sul; visitas y observación de cuatro escuelas públicas que cuentan con gran número de inscripciones de personas con discapacidad en la Educación para Jóvenes y Adultos (EJA); investigación exploratoria sobre las producciones académicas, relacionadas con el tema de la investigación. El enfoque sistémico de pensamiento científico se constituye como pilar teórico de este estudio, especialmente, el presente en las investigaciones realizadas por los estudiosos Gregory Bateson e Humberto Maturana. Después de transcribir las entrevistas, fueron identificados, como ejes para el análisis, los procesos de estigmatización de identidad; relaciones interpersonales (yo y el otro) la trayectoria y las posibilidades de ser del sujeto. La construcción de narrativas se alió a un debate sobre los conceptos de memoria y de la temporalidad y de las identidades individuales y colectivas, desde la integración con los presupuestos de la metodología de la historia oral y el pensamiento sistémico. La construcción de narrativas possibilitó las siguientes consideraciones: la necesidad de mirar a los jóvenes y adultos con discapacidad más allá de sus condiciones orgánicas; verlos como personas que tienen amplias oportunidades de vivir y aprender, y que estas están afectadas por el entorno en que se insertan; la comprensión de que las trayectorias personales de los jóvenes y adultos con discapacidad, influenciadas por la cultura y el lenguaje, muestra que las necesidades y los deseos de estos jóvenes están muy cerca de las necesidades y aspiraciones de los jóvenes del grupo social al que pertenecen; la observación de la importancia atribuida por los sujetos a los procesos de comunicación que les permitan desarrollar una relación de pertenencia y participación social; la afirmación de la influencia de los procesos de estigma en la restricción de las posibilidades de estas personas, tanto en la vida escolar de estos individuos, lo que ratifica la conclusión histórica de que la educación discriminada no ha alcanzado su objetivo de ser una etapa transitoria en la vida de estos estudiantes; la repetición en la enseñanza, de estrategias comunes, que indican una presunción de incapacidad de estos sujetos, y que son identificables desde la concepción de la “organización escolar”, como el ejemplo de la oferta de la Educación de Jóvenes y Adultos en el turno diurno, la urgencia de políticas públicas que den visibilidad a la reflexión y a la acción sobre la oferta de Atención Educacional Especializada (AEE) para jóvenes y adultos con discapacidad; la necesidad de fortalecer el diálogo entre las áreas de Educación Especial y Educación de Jóvenes y Adultos, para enfrentamiento colectivo y multidisciplinar contra los desafíos que se presentan.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/70601
Arquivos Descrição Formato
000877766.pdf (2.734Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.