Repositório Digital

A- A A+

O inglês como língua internacional e o papel do falante nativo nos cursos de idiomas em Porto Alegre

.

O inglês como língua internacional e o papel do falante nativo nos cursos de idiomas em Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O inglês como língua internacional e o papel do falante nativo nos cursos de idiomas em Porto Alegre
Autor Viégas, Maiara Rosa
Orientador Indrusiak, Elaine Barros
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Licenciatura.
Assunto Ensino de língua estrangeira (inglês)
Falante nativo
Língua inglesa
Variedades lingüísticas
[en] English as an international language
[en] English language
[en] Lingua franca
[en] Linguistic varieties
[en] Teaching
Resumo A língua inglesa é considerada, hoje, a língua franca entre os povos: as pessoas utilizamna não apenas para comunicação com falantes nativos, mas para comunicação internacional. O presente trabalho objetiva analisar em que medida as escolas de idiomas em Porto Alegre contemplam as questões do inglês como língua internacional (EIL) e qual o papel do professor falante nativo neste cenário. Para isso, foram realizadas entrevistas com diretores e coordenadores pedagógicos locais, principalmente através da aplicação de questionários. Observamos que as escolas de idiomas sabem da importância da língua inglesa como ferramenta para o mundo globalizado, mas parecem não estar cientes da complexidade do conceito de EIL. Além disso, observamos que o mito do falante nativo parece estar enfraquecido, ao menos para as escolas de maior representatividade comercial em Porto Alegre. As discussões sobre EIL e inglês como língua franca, bem como o papel do professor falante nativo, baseiam-se principalmente nos trabalhos de David Crystal (2003), David Graddol (2005) e Jennifer Jenkins (2006).
Abstract The English language is considered, today, the world‟s lingua franca: people make use of it not only to communicate with native speakers, but for international communication. The present paper aims to analyze in which way language schools in Porto Alegre take into account the issues of English as an international language (EIL) and what the role of the native speaker in this environment is. For that, local principals and educational coordinators were interviewed, mainly through questionnaires. We have observed that schools know the importance of the English language as a tool for the globalized world, but they seem to be unaware of the complexity behind the concept of EIL. Moreover, we have observed that the native speaker myth seems to be weakened, at least for the schools of most commercial power in Porto Alegre. The discussions about EIL and English as a lingua franca, as well as about the role of the native speaker teacher, specially rely on David Crystal‟s (2003), David Graddol‟s (2005) and Jennifer Jenkins‟s (2006) works.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/70667
Arquivos Descrição Formato
000877164.pdf (538.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.