Repositório Digital

A- A A+

Do governo da alma ao governo do corpo : a religião nos discursos da enfermagem

.

Do governo da alma ao governo do corpo : a religião nos discursos da enfermagem

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Do governo da alma ao governo do corpo : a religião nos discursos da enfermagem
Autor Silva, Flávia Pacheco da
Orientador Kruse, Maria Henriqueta Luce
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Educação
Política
Religião
Saúde
[en] Education
[en] Government
[en] Nursing
[en] Religion
[es] Educación
[es] Enfermería
[es] Gobierno
[es] Religión
Resumo O estudo analisa discursos sobre religião e religiosidade no campo da enfermagem, considerando as condições de possibilidade de sua emergência e o modo pelo qual se entrelaçam aos demais discursos da profissão, identificando como as enfermeiras utilizam tais saberes para produzir determinados efeitos na vida dos pacientes. Para articular tal discussão, utilizo artigos publicados em revistas científicas de enfermagem, localizados através dos descritores religião e religiosidade, no período de 1935 a 2010. Na tentativa de realizar uma das possíveis leituras destes discursos, utilizo a Análise Textual, associada com o pósestruturalismo, apoiada em noções e conceitos propostos por Michel Foucault. Os discursos que emergiram das revistas possibilitaram a construção de três categorias: Ser para servir: a enfermeira uma profissional cristã; O cuidado holístico: a religião no discurso científico; e O governo do corpo: a religião como estratégia biopolítica. A pesquisa destaca as revistas de enfermagem como importantes artefatos da mídia que proporcionam a circulação de saberes que investem na produção da identidade da enfermeira, constituindo sujeitos, governando, influenciando e ensinando um modo correto de ser e agir. Desta forma, através de relações de poder e saber, as revistas constituem enfermeiras, que além de governarem pacientes governam a si mesmas já que é difícil pensar de outra forma.
Abstract The study examines speeches about religion and religiosity in the nursing area, taking into consideration its emergence possibility and the mode by which intertwine with other speeches of the profession, identifying how nurses use such knowledge to produce certain effects in the lives of patients. In order to articulate such discussion I made use of articles published in scientific journals of nursing science, found through the religion and religiosity tags in the period between 1935 and 2010. In an attempt to perform one of the possible readings of these speeches, I made use the Textual Analysis, associated with post-structuralism, supported by notions and concepts proposed by Michel Foucault. The speeches that have emerged from the journals allowed the construction of three categories: One to serve: the nurse as a Christian professional; The holistic care: religion in scientific discourse; and the controlling of the body: religion as biopolitics strategy. The research highlights the nursing journals as important media artifacts that provide the circulation of knowledge, which invest in the production of the identity of the nurse, building subjects, ruling, influencing and teaching a correct way of being and of acting. This way, through power relations and through knowledge, the journals make nurses, who in addition to controling patients, control themselves since it is difficult to think otherwise.
Resumen El estudio examina discursos sobre religión y religiosidad en el campo de la enfermería, teniendo en cuenta las condiciones de posibilidad de su aparición y el modo en que se entrelazan con otros discursos de la profesión, determinando cómo enfermeras utilizan esos conocimientos para producir determinados efectos en la vida de los pacientes. Para articular tal debate, he utilizado artículos publicados en revistas científicas de enfermería, ubicados a través de descriptores religión y religiosidad en el período de 1935-2010. En un intento de realizar una de las posibles lecturas de estas intervenciones, he utilizado el Análisis Textual, asociado con el posestructuralismo, con el apoyo de nociones y conceptos propuestos por Michel Foucault. Las intervenciones que han surgido de revistas permitieron la construcción de tres categorías: Uno a servir: la enfermera como una profesional cristiana; La atención integral: religión en el discurso científico; y El gobierno del cuerpo: la religión como estrategia biopolítica. La encuesta pone de relieve las revistas de enfermería como artefactos de importantes medios de comunicación que proporcionan la circulación del conocimiento que se invierten en la producción de la identidad de la enfermera, que constituyen sujetos, sentencia, influyen y enseñan la forma correcta de ser y de actuar. De esta manera, a través de las relaciones de poder y de aprender, las revistas son enfermeras, que además de regir los pacientes gobiernan a sí mismas ya que es difícil pensar lo contrario.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/70765
Arquivos Descrição Formato
000878859.pdf (4.350Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.