Repositório Digital

A- A A+

Frequência e fatores de risco para readmissão de pacientes criticamente enfermos

.

Frequência e fatores de risco para readmissão de pacientes criticamente enfermos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Frequência e fatores de risco para readmissão de pacientes criticamente enfermos
Autor Santos, Moreno Calcagnotto dos
Orientador Vieira, Silvia Regina Rios
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Fatores de risco
Unidades de terapia intensiva
[en] Base deficit
[en] C-reactive protein
[en] CRP
[en] ICU
[en] Lactate
[en] Readmission
[en] Risk factors
[en] ScvO2
Resumo Introdução: A readmissão de pacientes nas unidades de terapia intensiva (UTIs) está associada a piores desfechos durante a internação hospitalar. Através da análise de preditores existe a possibilidade de identificar os pacientes sob risco de readmissão e planejar possíveis intervenções visando melhorar a segurança destes pacientes. Objetivos: Avaliar o desempenho da saturação venosa central (SvcO2), do lactato, do déficit de bases (DB), dos níveis de proteína C reativa (PCR), do Sequential Organ Failure Assessment (SOFA), do Stability and Workload Index for Transfer (SWIFT) escore do dia da alta da UTI como preditores e fatores de risco para readmissão de pacientes na unidade de terapia intensiva (UTI), além de verificar a frequência de readmissões na UTI. Métodos: O estudo avaliou pacientes criticamente enfermos internados consecutivamente na unidade de terapia intensiva do Hospital Nossa Senhora da Conceição que receberem alta da UTI, no período entre Agosto/2011 e Agosto/2012. Resultados principais: Utilizando análise multivariada o SOFA e o SWIFT da alta foram identificados como fatores de risco independentemente associados à readmissão na UTI. Entretanto, com uma área sob a curva receiver operating characteristic (ROC) de 0,63 e 0,66 respectivamente, estes escores podem não ter grande aplicabilidade clínica em nossa população. A PCR, a SvcO2, o DB e o lactato não estão associados a readmissão de pacientes críticos. Conclusões: Apesar do grande impacto clínico e econômico associado à readmissão de pacientes na UTI, nossa capacidade para discriminar os pacientes sob risco de readmissão e objetivar os critérios de alta dos pacientes críticos segue inadequada.
Abstract Background: Readmission of patients in intensive care units (ICUs) is associated with worse outcomes during hospitalization. Possibly, identifying patients at risk for readmission through the analysis of predictors, some intervention may be planned for the security of these patients. Objectives: To evaluate the performance of central venous oxygen saturation (ScvO2), lactate, base deficit (BD), C-reactive protein (CRP), the Sequential Organ Failure Assessment (SOFA) score and the Stability and Workload Index for Transfer (SWIFT) score at the day of discharge from the intensive care unit (ICU) as predictors and risk factors for readmission or unexpected death among critically ill patients and to identify the frequency of readmissions in the ICU. Design: Prospective observational study. Location: academic tertiary hospital in Brazil. Patients: A total of 1,360 patients admitted to a 59 beds medical-surgical ICU from August 2011 to August 2012. Methods: We compared the characteristics and laboratory data of readmitted patients and not readmitted patients discharged from the ICU. Through multivariate analysis we identified potential risk factors independently associated with readmission. Main results: SOFA and SWIFT were identified as significant risk factors for ICU readmission. However, with an area under the ROC curve of 0.63 and 0.66, these scores would appear to have limited clinical applicability in our population. CRP, ScvO2, BD and lactate were not associated with readmission of critically ill patients. Conclusions: Perfusion and inflammatory markers are not good predictors of ICU readmission. Despite the clinical and economic impact associated with readmission in ICU, our ability to predict which patients will be readmitted is still inadequate.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/71089
Arquivos Descrição Formato
000878053.pdf (675.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.