Repositório Digital

A- A A+

Intestinal parasitism and socio-environmental factors among mbyá-guarani indians, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

.

Intestinal parasitism and socio-environmental factors among mbyá-guarani indians, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Intestinal parasitism and socio-environmental factors among mbyá-guarani indians, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil
Outro título Parasitismo intestinal e fatores socioambientais de indigenas Mbya-Guarani, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Autor Brandelli, Clara Lia Costa
De Carli, Geraldo Attilio
Macedo, Alexandre José
Tasca, Tiana
Resumo Dados preocupantes demonstram a prevalência de parasitos intestinais e sua relação com fatores socioambientais entre indígenas Mbya-Guarani. A prevalência foi determinada pelas técnicas de sedimentação espontânea em água, centrífugo-flutuação e Kato-Katz. Para cada família, um questionário socioeconômico foi aplicado. A prevalência geral de parasitos intestinais foi de 88,7% e 45,5% estavam poliparasitados. A prevalência em crianças (1-12 anos) foi 90,5% e em indivíduos entre 13-65 anos foi 85%, indicando que ambas as faixas etárias sao amplamente parasitadas. A carga parasitaria foi baixa a moderada para geohelmintos e 75% das famílias não possuem banheiro, sendo a prática da defecação feita ao ar livre. Estes achados sugerem que o poliparasitismo intestinal na comunidade Mbya-Guarani e altíssimo, a ponto de ser a regra, e que se refere essencialmente ao estilo de vida tradicional e hábitos de saúde. Ha a necessidade de aplicar urgentemente a associação de tratamento antiparasitário as melhorias sanitárias. Isto deve ser feito simultaneamente com atividades de educação em saúde para esta população.
Abstract Disturbing data reveal the prevalence of intestinal parasites and their relationship with socio-environmental factors among Mbya-Guarani Indians. The prevalence was determined by spontaneous sedimentation in water, centrifugation-floatation, and Kato-Katz. A socioeconomic questionnaire was submitted to each family. The overall prevalence of intestinal parasites was 88.7%, and 45.5% were polyparasitized. There was 90.5% prevalence of enteric parasites in children (1-12- year-old), and 85% among 13-65-year-old individuals, indicating that both age groups are extensively parasitized. The parasite load was low to moderate for geohelminths and 75% of the families did not have latrine, thus the practice of defecation occurred outdoors. These findings suggest that the multiple intestinal parasitism in the Mbya-Guarani community is high to the point of being the rule, and that it relates essentially to the traditional lifestyle and health habits. It is urgently necessary to implement the association of anti-parasitic treatment with sanitation improvement. This should be done simultaneously with health education activities for this population.
Contido em Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo =Journal of the São Paulo Institute of Tropical Medicine. São Paulo, SP. Vol. 54, n. 3 (maio/jun. 2012), p. 119-122
Assunto Enteroparasitoses
Índios mbyá-guarani
Saúde indígena
[en] Enteroparasites
[en] Indigenous health
[en] Mbya-Guarani Indians
[en] Polyparasitism
[en] Socio-environmental factors
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/71554
Arquivos Descrição Formato
000851408.pdf (203.7Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.