Repositório Digital

A- A A+

Efeitos da administração sistêmica de metilprednisolona em pulmões de ratos doadores em morte encefálica submetidos a transplante pulmonar

.

Efeitos da administração sistêmica de metilprednisolona em pulmões de ratos doadores em morte encefálica submetidos a transplante pulmonar

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos da administração sistêmica de metilprednisolona em pulmões de ratos doadores em morte encefálica submetidos a transplante pulmonar
Autor Araujo, Luiz Felipe Lopez
Orientador Andrade, Cristiano Feijó
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Estresse oxidativo
Metilprednisolona
Modelos animais
Morte encefálica
Transplante de pulmão
[en] Brain death
[en] Experimental model
[en] Lung transplantation
[en] Methylprednisolone
[en] Oxidative stress
Resumo INTRODUÇÃO: O transplante pulmonar é a única opção terapêutica para determinados pacientes com doença pulmonar em estágio terminal. A maioria dos transplantes de pulmão é realizada a partir de doadores em morte encefálica, condição que per si pode comprometer o sucesso do procedimento. A fisiopatologia da morte encefálica é complexa e envolve mecanismos hemodinâmicos, simpáticos e inflamatórios. A administração de metilprednisolona 60 minutos após indução da morte encefálica reduz a atividade inflamatória em pulmões de ratos. OBJETIVO: Avaliar os efeitos do tratamento com metilprednisolona em pulmões de ratos transplantados a partir de ratos doadores induzidos à morte encefálica quando administrada 60 minutos após indução da mesma. MÉTODOS: doze ratos Wistar foram randomizados e anestesiados em 2 grupos (n=6): controle: indução de morte encefálica e administração de solução salina; metilprednisolona (MET): indução de morte encefálica e administração de metilprednisolona 60 minutos após. Os animais foram observados e ventilados por 120 minutos e depois submetidos a transplante pulmonar. Foram avaliados parâmetros hemodinâmicos e gasométricos, escore histológico, dosagem de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS), superóxido dismutase (SOD), TNF-α e interleucina-1β (IL-1β). RESULTADOS: houve redução significativa dos níveis de TNF-α e IL-1β no grupo que recebeu metilprednisolona (p=0,0084; p=0,0155, respectivamente). Não houve diferença significativa na atividade do TBARS e SOD entre os grupos controle e MET (p=0,2644; p=0,7461, respectivamente). Não houve diferença significativa na gasometria, nos parâmetros hemodinâmicos, e nas alterações histológicas entre os grupos controle e MET. CONCLUSÃO: a utilização de metilprednisolona após a morte encefálica em ratos doadores reduz a atividade inflamatória em pulmões transplantados, mas não tem influencia sobre o estresse oxidativo.
Abstract INTRODUCTION: Lung transplantation is the only therapeutic option for a subset of patients with end-stage lung disease. Most lung transplantations are performed using brain-dead donors, a condition that compromises the success of the procedure. The physiopathology of brain death is complex and involves haemodynamics, the sympathetic nervous system and inflammatory mechanisms. Administering methylprednisolone 60 minutes after inducing brain death in rats has been shown to modulate pulmonary inflammatory activity. OBJECTIVE: To evaluate the effects of methylprednisolone on transplanted rat lungs from donors treated 60 minutes after brain death. METHODS: Twelve Wistar rats were anaesthetised and randomly assigned to 1 of 2 groups (n=6): a control group that underwent the induction of brain death and the administration of saline solution and a methylprednisolone (MET) group that underwent the induction of brain death and the administration of methylprednisolone after 60 minutes. All of the animals were observed and ventilated for 120 minutes and then submitted to lung transplantation. We evaluated haemodynamic and blood gas parameters, the histologic score, the lung tissue determination of thiobarbituric acid-reactive substances (TBARS), the level of superoxide dismutase (SOD), the level of TNF-α and the level of interleukin-1β (IL-1β). RESULTS: There was a significant reduction in the levels of TNF-α and IL-1β in the group that received methylprednisolone (p=0.0084 and p=0.0155, respectively). There were no significant differences in TBARS and SOD between the control and MET groups (p=0.2644 and p=0.7461, respectively). There were no significant differences in the blood gas parameters, the haemodynamic parameters and the histologic alterations between the control and MET groups. CONCLUSION: The administration of methylprednisolone after brain death in donor rats reduces inflammatory activity in transplanted lungs but has no influence on oxidative stress.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/71631
Arquivos Descrição Formato
000880143.pdf (871.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.