Repositório Digital

A- A A+

Exercícios concorrente e aeróbico em ambiente quente e termoneutro : respostas fisiológicas e perceptivas de meninas obesas

.

Exercícios concorrente e aeróbico em ambiente quente e termoneutro : respostas fisiológicas e perceptivas de meninas obesas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Exercícios concorrente e aeróbico em ambiente quente e termoneutro : respostas fisiológicas e perceptivas de meninas obesas
Autor Fontoura, Andrea Silveira da
Orientador Meyer, Flavia
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Adolescente
Obesidade
Treinamento aerobico
Treinamento de força
[en] Aerobic training
[en] Concurrent exercise
[en] Obesity
[en] Thermoregulation
Resumo Introdução: O exercício é conhecido como uma das ferramentas mais poderosas para prevenir e controlar a obesidade. No entanto, as razões pelas quais indivíduos obesos parecem ser menos dispostos do que aqueles com peso normal para participar e aderir a programas de exercícios são ainda desconhecidas. Uma das hipóteses é que as altas taxas de abandono tipicamente encontradas entre os adolescentes obesos pode ser devido ao tipo de exercício prescrito, e/ou uma capacidade termorregulatória comprometida. A interação entre exercício e excesso de peso pode alterar algumas variáveis, tais como, temperatura corporal, percepção de esforço, conforto térmico e irritabilidade, especialmente se os programas de exercícios são realizados em ambientes com altas temperaturas. Objetivo: Este estudo investigou as respostas fisiológicas e perceptivas em adolescentes obesas em sessões de exercícios concorrente (EC) e de exercícios aeróbico (EA), em duas condições ambientais: calor (C) e termoneutro (Tn). Métodos: Doze meninas púberes obesas (12,7±0,6 anos, 49,9± 3,0% de gordura) fisicamente ativas e aclimatizadas ao calor foram designadas para participar de quatro sessões de testes (EA e EC onde no EA foi de 40 minutos e consistia de cicloergômetro (60-70% do VO2pico) em duas condições ambientais: Aeróbico termoneutro (ATn) em que a temperatura foi mantida a 22-25 °C, humidade relativa entre 55-60 %; Aeróbico Calor (AC) em que a temperatura foi mantida entre 35-37 ºC, e uma humidade relativa entre 40-45%. As sessões EC foram organizados em quatro períodos (10 minutos cada), alternando cilcoergômetro (60-70% VO2pico) e duas séries de nove exercícios de força (12-15 repetições a 60-70% de 1-RM). As sessões de EC também foram testadas sob as mesmas condições acima mencionadas (concorrente termoneutra - CTn e concorrente calor - CC). As participantes foram autorizadas a beber cerca de 279ml (± 42.7ml) de água durante as sessões de exercício. As seguintes variáveis foram avaliadas: temperatura retal (Tre), frequência cardíaca (FC), taxa percepção de esforço (TPE), escala de percepção de esforço para crianças (EPEC), sensação térmica, conforto térmico, irritabilidade, cor e densidade da urinária. ANOVA de um e dois caminhos; ANOVA para medidas repetidas e os testes de Friedman e Wilcoxon (p <0,05) foram realizados com os diferentes tipos de exercícios (EA e EC), e as condições de temperatura (Tn e C) como fatores. Resultados: A análise confirmou semelhantes (p> 0,05) os níveis de hidratação, Tre e UR, no início de cada sessão de exercícios confirmando a linha de base. Os resultados mostraram diferenças entre pré e pós-exercício na Tre (AC: 37,1± 0,2 para 37,7±0,2ºC, e CC: 37,1±0,2 para 37,5±0,2°C) (p=0,001). Não foram encontradas diferenças durante as sessões CTn (p=0,967). Durante as sessões ATn, a Tre diferiu (p = 0,016), apenas no vigésimo minuto (37,1±0,2 para 37,4 ± 0,3). Além disso, não houve diferença (p=1,000) entre as sessões ATn e CTn. No entanto, houve diferença (p = 0,016) comparando a AC e CC, no minuto 35 (AC= 37,6 ± 0,2; CC= 37,4 ± 0,2 °C), e no minuto 40 (AC = 37,7 ± 0,2 e CC= 37,5 ±0,2 °C). O conforto térmico e sensação térmica foram maiores durante as sessões de calor e no exercício aeróbio (p <0,05). Não houve diferença na EPEC e irritabilidade. Conclusão: Em geral, estes resultados concluem que as adolescentes obesas respondem melhor em termos fisiológicos e perceptivos durante o EC em comparação com as sessões de EA. Além disso, os resultados demonstraram que a percepção de esforço, sensação térmica, e conforto térmico conduziu a um aumento significativo do prazer relatado no EA independente da condição térmica. Portanto, o EC pode aumentar o prazer e motivação intrínseca para a atividade física, aumentando a adesão desta população específica.
Abstract Introduction: Exercise is well known as one of the most powerful tools to prevent and control obesity. However, the reasons why overweight individuals seem even less willing than normal-weight ones to participate in, and adhere to exercise programs remain largely unknown. One of the hypotheses is that the high rates of dropouts typically found among overweight teenagers might be due to the type of exercise prescribed, and/or compromised thermoregulatory ability. The interaction between exercise and excess body weight would alter some unique variables such as, body temperature, perceived exertion, thermal comfort, and irritability, especially if exercises programs are performed in environments with high temperatures. Aim: This study investigated physiological and perceptual responses in teenager women during concurrent (CE) and aerobic exercise (AE) sessions, under two distinct thermic environmental conditions: artificially heated (Ht) and thermoneutral (Tn). Methods: Twelve obese pubescent girls (12.7 ± 0.6 years, 49.9 ± 3.0% fat) physically active and heat-acclimatized were randomly assigned to participate in four differents sessions, the AE sessions last 40-minutes each and consisted of cycling (60-70% of VO2peak) under two environmental conditions: Aerobic Thermoneutral (ATn) in which the temperature was kept to 22-25°C, and relative humidity between 55-60%; and Aerobic Heated (AHt) in which the temperature was kept between 35-37ºC, and relative humidity between 40-45%. The CE sessions were organized into four periods (10 minutes each) alternating cycling (60-70% VO2peak) and two sets of nine strength exercises [12-15 repetitions at 60-70% of 1-RM]. The CE sessions were also tested under the same above-mentioned environmental conditions (concurrent thermoneutral - CTn and concurrent heated - CHt). Participants were allowed to drink about 279ml (± 42.7ml) of water during the exercise sessions. The following variables were assessed: rectal temperature (Tre), heart rate (HR), rate of perceived exertion (RPE), perceived exertion scale for children (PESC), thermal sensation, thermal comfort, irritability, urine color, and urine specific gravity. One, and two way ANOVAs, repeated measures ANOVA, and Friedman and Wilcoxon tests (p <0.05) were performed using the different types of exercises (AE and CE), and temperature conditions (Tn and Ht) as factors. Results: The analysis confirmed similar (p> 0.05) hydration levels, Tre, and HR at the beginning of each exercise session confirming the baseline. The results showed differences between pre- and post-exercise Tre assessments (AHt: 37.1 ± 0.2 - 37.7 ± 0.2 ºC; and CHt: 37.1 ± 0.2 - 37.5 ± 0.2 °C) (p = 0.001). No differences were found during the CTn sessions (p = 0.967). During the ATn sessions, the Tre differed (p = 0.016) only during the first 20 minutes (37.1 ± 0.2 - 37.4 ± 0.3). Furthermore, no difference (p = 1.000) was found between the ATn and CTn sessions. However, the comparison between AHt and CHt differed (p = 0.016) at the 35 (AHt = 37.6 ± 0.2; and CHt = 37.4 ± 0.2 °C), and 40 minutes (AHt = 37.7 ± 0.2 and CHt = 37.5 ± 0.2 °C). The thermal comfort and thermal sensation were higher during the heated and aerobic sessions (p <0.05). No differences in the PESC, and irritability were found. Conclusion: Overall these findings conclude that overweight teenagers respond physiologically better during CE as compared to AE sessions. In addition, the results demonstrated that perceived exertion, thermal sensation, and thermal comfort led to a significant increase in reported pleasure on AE regardless of environmental condition. Over time, the CE could increase the enjoyment of and intrinsic motivation for physical activity, increasing adherence of this particular population.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/71781
Arquivos Descrição Formato
000880608.pdf (2.205Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.