Repositório Digital

A- A A+

Composição e diversidade de taxocenoses de aves de rapina diurnas de paisagens abertas da savana uruguaia e floresta úmida com araucária

.

Composição e diversidade de taxocenoses de aves de rapina diurnas de paisagens abertas da savana uruguaia e floresta úmida com araucária

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Composição e diversidade de taxocenoses de aves de rapina diurnas de paisagens abertas da savana uruguaia e floresta úmida com araucária
Autor Zilio, Felipe
Orientador Martins, Márcio Borges
Co-orientador Verrastro Viñas, Laura
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Araucaria
Aves de rapina
Ornitologia
Taxocenose
[en] Conservation
[en] Distribution
[en] Ecoregion
[en] Habitat
[en] Land use
[en] Migration
[en] Raptors
[en] Roadside transect
[en] Scavengers
[en] Seasonality
[en] South america
[en] Top predators
[en] Uruguay
Resumo As aves de rapina, como predadores de níveis superiores na rede trófica, necessitam de grandes áreas de vida e ocorrem em baixa densidade populacional. São sensíveis a alteração e degradação do habitat, sendo bons indicadores de qualidade de habitat e biodiversidade. Apesar da importância ecológica pouco se conhece sobre a biologia e ecologia da maioria das 91 espécies que ocorrem na América do Sul, o que nos leva ao objetivo mais amplo desta tese: descrever a composição das taxocenoses de aves de rapina dos campos do sul do Brasil e Uruguai e sua relação com as características topográficas e ambientais. Para tanto, foram realizadas amostragens de aves de rapina em 11 áreas campestres entre outono de 2009 e verão de 2011. Um total de 44 transectos rodoviários foi amostrado sazonalmente, duas vezes ao ano, totalizando 176 amostragens. Ao todo foram observadas 18.424 aves de rapina, pertencentes a 33 espécies. Os transectos rodoviários são amplamente utilizados para a amostragem de aves de rapina, no entanto, nossos resultados sugerem que este método pode subestimar a abundância das espécies. Pontos de contagem parecem ser mais eficazes, principalmente para a amostragem de espécies raras. A distribuição das espécies foi associada à altitude e disponibilidade de habitat, e quatro taxocenoses puderam ser identificadas no sudeste da América do Sul. A taxocenose dos campos de altitude (na ecorregião Floresta Úmida com Araucária) se caracterizou pela presença de espécies florestais, ausentes ou pouco abundantes nas demais áreas. Na ecorregião Savana Uruguaia foram distinguidas outras três taxocenoses: 1) campos da planície costeira do sul do Brasil, com espécies associadas às áreas úmidas e ambientes alterados; 2) campos da Serra do Sudeste, uma taxocenose mista com espécies campestres e florestais, porém pouco abundantes e com maior tolerância a habitat alterados; 3) campos da Savana Uruguaia, taxocenose com predominância de espécies campestres e presença pontual de espécies florestais associadas a matas riparias. Foram registradas quatro espécies de necrófagos obrigatórios (Cathartiformes). A organização da taxocenose dos necrófagos aparenta ser mais influenciada pelas características da paisagem que por relações hierárquicas interespecíficas, mas a distribuição atual pode ter sido influenciada pela caça e envenenamento das espécies, ocorrida no século passado. A abundância das aves de rapina variou sazonalmente. A abundância foi significativamente maior no verão que no inverno, mas variou conforme a espécie. Quatro espécies são migratórias (duas migrantes trans-equatorias e duas intratropicais), três são parcialmente migratórias, mas o padrão de migração e as rotas são pouco conhecidos, e três espécies são nômades ou realizam movimentos irruptivos. Os campos do sudeste da América do Sul tem uma alta diversidade de aves de rapina, influenciada pela topografia, disponibilidade de habitat e sazonalidade, características que devem ser consideradas nas políticas de conservação na região.
Abstract Raptors, as top predators, have large home ranges and low population densities. They are sensitive to human perturbation and habitat degradation; hence raptors are sentinel species and biodiversity indicators. Despite their ecological importance, the biology and ecology of most of the 91 South American raptors is poorly known. The main objectives of this study were to examine the assemblage composition in grasslands of southern Brazil and Uruguay and to investigate its relation with topography and habitat features. To achieve this, 44 roadside transects were conducted in 11 areas. Each transect was survey four times between autumn/2009 and summer/2011. The 176 transects yielded 18,424 contacts of raptors, belonging to 34 species. Roadside line transect is widely used to survey raptors. However, our results suggest that this method could underestimate the species abundance. Roadside point transect seems to be better, especially to survey rare species. Raptors distribution and assemblage composition were related to altitude and habitat availability, and four assemblages could be identified in southeastern South America. Raptor assemblage at Altitudinal grasslands (in the Araucarian Moist Forest ecoregion) had higher abundances of forest raptors than the other regions. Three assemblages were distinguished in the Uruguayan Savannas ecoregion: 1) south Brazilian coastal plain, with species related wetlands and human modified habitats; 2) Serra do Sudeste grasslands, a mix of forest and grassland raptors assemblage, which showed low abundances and lower sensibility to habitat degradation; 3) Uruguayan Savannas, dominated by grasslands species and few forest species usually found in riparian habitats. Four obligate scavengers (Cathartiformes) were recorded. Landscape features appeared to be more important to the assemblage organization than interspecific hierarchy, but the current distribution and abundance of scavengers could have been driven by species persecution and poisoning in the last century. Raptors abundance changed seasonally. Total abundance was significantly higher during summer than winter, and strategies to deal with seasonality varied between species. Four species are complete migrants (two transequatorial and two intratropical), three are partial migrants, but their routes and migration pattern remain poorly understood; and three species are irruptive or nomadic. The grasslands of southern South America have a high diversity of raptors, influenced by topography, habitat availability and seasonality, features that should be taken into account when divising regional conservation policies.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/72305
Arquivos Descrição Formato
000875268.pdf (1.770Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.