Repositório Digital

A- A A+

Levantamento populacional do bugio-ruivo (Alouatta clamitans) e do macaco-prego (Sapajus nigritus) em fragmentos florestais de Mata de Araucária em Fazenda Souza, Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

.

Levantamento populacional do bugio-ruivo (Alouatta clamitans) e do macaco-prego (Sapajus nigritus) em fragmentos florestais de Mata de Araucária em Fazenda Souza, Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Levantamento populacional do bugio-ruivo (Alouatta clamitans) e do macaco-prego (Sapajus nigritus) em fragmentos florestais de Mata de Araucária em Fazenda Souza, Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil
Autor Hass, Gabriela Pacheco
Orientador Printes, Rodrigo Cambara
Data 2012
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Especialização em Diversidade e Conservação da Fauna.
Assunto Alouatta clamitans
Caxias do Sul (RS)
Macaco prego
Resumo A perda e a alteração estrutural das florestas são as maiores ameaças à conservação dos primatas. No Rio Grande do Sul há três espécies de primatas não-humanos: o bugio-preto (Alouatta caraya, Humboldt 1812), o bugio-ruivo (A. clamitans, Cabrera 1940) e o macaco-prego (Sapajus nigritus, Goldfuss 1809). A primeira está associada ao bioma Pampa e as duas últimas ao bioma Mata Atlântica, que inclui as Florestas Ombrófilas Mistas (Mata de Araucária). Para a conservação destas espécies os levantamentos populacionais são fundamentais para descoberta de novas populações, para o mapeamento de suas áreas de ocorrência, e para avaliação de sua presença, principalmente em áreas antropizadas. Alem disto, tem aplicações práticas, tais como o monitoramento de doenças (como a febre amarela), subsídio para licenciamento ambiental e avaliação do impacto dos agroecossistemas sobre as populações de vertebrados. A presente pesquisa teve como objetivo avaliar a presença/ausência de populações de bugios-ruivos e macacos-pregos no distrito de Fazenda Souza, Caxias do Sul, em fragmentos florestais da Mata de Araucária, inseridos em uma matriz de agroecossistemas. O levantamento iniciou com a utilização do método de seleção de informantes por grupos de referência. As áreas informadas como de possível ocorrência das espécies foram visitadas. O registro do bugio-ruivo foi realizado através de visualização direta ou vocalização associada ao encontro de fezes; já o macacoprego foi registrado através de armadilhas fotográficas instaladas no dossel. Foram obtidos 13 registros de A. clamitans distribuídos em três zonas e um registro de S. nigritus em uma área de simpatria com o bugio-ruivo. Os resultados sugerem uma relativa facilidade em encontrar grupos de bugios e uma grande dificuldade em registrar macacos-prego. Sugere-se a realização de estudos que avaliem a influência das características da paisagem sobre as populações destes primatas.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/72389
Arquivos Descrição Formato
000877566.pdf (2.241Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.