Repositório Digital

A- A A+

Avaliação dos efeitos ex vivo dos ácidos 3-hidróxi-3-metilglutárico e 3-metilglutárico sobre parâmetros de estresse oxidativo em estriado em ratos jovens

.

Avaliação dos efeitos ex vivo dos ácidos 3-hidróxi-3-metilglutárico e 3-metilglutárico sobre parâmetros de estresse oxidativo em estriado em ratos jovens

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação dos efeitos ex vivo dos ácidos 3-hidróxi-3-metilglutárico e 3-metilglutárico sobre parâmetros de estresse oxidativo em estriado em ratos jovens
Autor Rosa, Mateus Struecker da
Orientador Leipnitz, Guilhian
Co-orientador Seminotti, Bianca
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Curso de Biomedicina.
Assunto Acido 3-hidroxi-3-metilglutárico
Aciduria
Corpo estriado
Erros inatos do metabolismo
Estresse oxidativo
Resumo A acidúria 3-hidróxi-3-metilglutárica (HMGA), causada pela deficiência da enzima 3-hidróxi-3-metilglutaril-CoA liase (HL; EC 4.1.3.4), é um erro inato do metabolismo de herança autossômica recessiva. A HL catalisa a clivagem do 3-hidróxi-3-metilglutaril-CoA a acetoacetato e acetil-CoA, a qual é a última reação da síntese de corpos cetônicos e do catabolismo da leucina. Os indivíduos afetados pela HMGA apresentam acúmulo e elevada excreção urinária dos ácidos 3-hidróxi-3-metilglutárico (HMG), 3-metilglutárico (MGA), 3-metilglutacônico e 3-hidroxiisovalérico. Os pacientes apresentam predominantemente sintomas neurológicos, bem como hepatomegalia e cardiomiopatia, principalmente em situações de descompensação metabólica, quando ocorrem elevações drásticas nas concentrações dos metabólitos acumulados. Visto que os mecanismos fisiopatogênicos responsáveis pelo dano cerebral são pouco conhecidos, o objetivo do presente trabalho foi investigar os efeitos ex vivo da administração intraestriatal do HMG e do MGA sobre os parâmetros de estresse oxidativo substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBA-RS), formação da carbonilas, concentrações de glutationa reduzida (GSH) e as atividades das enzimas antioxidantes glutationa peroxidase (GPx), glutationa redutase (GR), superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PDH) em estriado de ratos jovens 30 min após a injeção. Nossos resultados demonstraram que a administração de HMG e MGA induziu peroxidação lipídica (aumento nos níveis de TBA-RS) e dano oxidativo proteico (formação de carbonilas) no estriado. Além disso, o HMG e o MGA diminuíram as concentrações de GSH, o mais importante antioxidante cerebral. (Continuação0 Finalmente, as injeções de HMG e MGA aumentaram significativamente a atividade da GPx e diminuíram as atividades da SOD e da GR. Por outro lado, apenas o HMG aumentou a atividade da CAT e diminuiu a atividade da G6PDH. Nossos achados sugerem que o estresse oxidativo induzido in vivo pelo HMG e pelo MGA em estriado pode contribuir, pelo menos em parte, para a disfunção neurológica encontrada nos pacientes afetados pela HMGA.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/72421
Arquivos Descrição Formato
000883325.pdf (513.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.