Repositório Digital

A- A A+

Biografias de gravidez e maternidade na adolescência em assentamentos rurais de Encruzilhada do Sul/RS

.

Biografias de gravidez e maternidade na adolescência em assentamentos rurais de Encruzilhada do Sul/RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Biografias de gravidez e maternidade na adolescência em assentamentos rurais de Encruzilhada do Sul/RS
Autor Soares, Joannie dos Santos Fachinelli
Orientador Lopes, Marta Júlia Marques
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Gravidez na adolescência
Maternidade : Adolescência
Saúde da população rural
Serviços de saúde : Assentamentos rurais
Resumo Buscou-se conhecer e compreender, através de biografias, as vivências de gestação e maternidade na adolescência em assentamentos rurais no município de Encruzilhada do Sul. O estudo desenvolveu-se a partir de uma abordagem qualitativa, sustentando-se no método biográfico. As testemunhas do estudo foram mulheres que vivenciaram/vivenciam gravidez e maternidade na adolescência. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista biográfica temática, que compuseram 16 ao total. O tratamento dos dados foi realizado por meio da técnica de análise de conteúdo temático. As histórias de vida mostram trajetórias de instabilidade e mudanças constantes, habitação e emprego precários. Observou-se que a quase a totalidade das testemunhas vive em união estável, muitas vezes, originada em consequência da gravidez. Para as adolescentes solteiras, a gravidez ocorreu sem planejamento e foi referida como fruto de “descuido” e desinformação. A aceitação da gravidez pelas famílias das adolescentes está diretamente ligada à condição do companheiro em “assumir” ou não a criança e a adolescente. As mudanças decorrentes da gravidez e maternidade citadas com mais frequência foram a perda de liberdade e o aumento de responsabilidade. Quanto aos planos para o futuro a maioria das entrevistadas citou o desejo de de melhorar as condições materiais em que vivem. Também foi referida a perspectiva de voltar a estudar e de ter trabalho remunerado. Em relação às situações de saúde, observou-se despreparo das testemunhas para realizar ações preventivas de saúde, falta de domínio de informações, e que o acesso a serviços se dá exclusivamente na perspectiva da atenção pré-natal. Considera-se que as adolescentes dos assentamentos estudados vivem situações de precariedade material e de infraestrutura de vida e trabalho. A ausência de políticas públicas e, consequentemente, de serviços dirigidos e adequados às especificidades é outra constatação. Esse cenário pode contribuir para a incidência de gravidez e maternidade precoces, sendo propício à reprodução das condições de pobreza das famílias e desigualdades de gênero nas relações sociofamiliares.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/72624
Arquivos Descrição Formato
000705822.pdf (2.377Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.