Repositório Digital

A- A A+

Mortalidade, reinternações hospitalares e marcadores do desenvolvimento motor no primeiro ano de vida de prematuros

.

Mortalidade, reinternações hospitalares e marcadores do desenvolvimento motor no primeiro ano de vida de prematuros

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mortalidade, reinternações hospitalares e marcadores do desenvolvimento motor no primeiro ano de vida de prematuros
Autor Nunes, Cristiane Raupp
Orientador Beghetto, Mariur Gomes
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Mortalidade infantil
Prematuro
Recém-nascido
Reinternação infantil
Unidades de terapia intensiva neonatal
[en] Infant, newborn
[en] Infant, premature
[en] Intensive care units
[en] Neonatal
[es] Recién nacido
[es] Unidades de cuidado intensivo neonatal
Resumo O estudo investigou mortalidade, reinternação e três marcadores do desenvolvimento motor de recém-nascidos prematuros, egressos da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN) de um hospital universitário de Porto Alegre, no primeiro ano de idade corrigida. Tratou-se de uma coorte histórica que incluiu 170 neonatos nascidos na instituição de origem do estudo com idade gestacional menor de 37 semanas, que internaram na UTIN e sobreviveram à hospitalização. Os dados referentes às condições perinatais e à hospitalização do nascimento foram obtidos nos prontuários. Informações sobre os desfechos (morte, reinternações e marcadores do desenvolvimento motor no primeiro ano) foram obtidos por meio de entrevista telefônica com o responsável pela criança. Os desfechos foram avaliados considerando-se tanto a idade cronológica, quanto a idade corrigida. O Comitê de Ética e Pesquisa da instituição emitiu parecer favorável à realização do estudo. Nenhum dos bebês morreu e 39,4% apresentaram reinternações, especialmente por afecções respiratórias (26,5%). Mais de 90% dos participantes apresentou marcadores do desenvolvimento motor adequados quando ajustada a idade para a prematuridade (idade corrigida), sendo esse desfecho menos prevalente ao se adotar a idade cronológica. Conclui-se que os prematuros que demandam internação em UTIN e tem alta hospitalar, sobrevivem, apesar de muitos demandarem pelo menos uma internação hospitalar ao longo do primeiro ano de vida. Ao avaliar marcadores do desenvolvimento motor desses bebês, faz-se necessário corrigir a idade cronológica à prematuridade, adotando-se a idade corrigida.
Abstract This study investigated mortality, readmission and adequation for three markers of motor development in preterm infants, discharged from the Neonatal Intensive Care Unit (NICU) of a university hospital in Porto Alegre, in the first year of corrected age. This was a historical cohort study that included 170 neonates born at the home institution of the study with gestational age less than 37 weeks, who were hospitalized in the intensive care unit (NICU) and survived to hospitalization. The data concearning to perinatal conditions and birth hospitalization were obtained from the electronic records (EHRs). Information on the outcomes (death, readmissions and markers of motor development in the first year) were obtained through a telephone interview with the caretaker. Outcomes were evaluated considering both chronological age, as corrected age. The Ethics and Research Committee gave its assent to the study. None of the babies died and 39,4% were readmitted, especially (26,5%) for respiratory diseases. Over 90% of participants had adequate markers of motor development, when the age adjusted for prematurity (corrected age), this outcome is less prevalent when adopting the chronological age. We conclude that preterm infants requiring hospitalization in NICU and has hospital survive, although many demand it at least one hospitalization during the first year of life. When evaluating markers of motor development of these babies, it is necessary to correct chronological age to prematurity, adopting the corrected age.
Resumen El estudio investigó la mortalidad, reingreso y tres marcadores de desarrollo motor en niños prematuros, dados de alta de la Unidad de Cuidados Intensivos Neonatales (UCIN) de un hospital universitario de Porto Alegre, en el primer año de edad corregida. Este fue un estudio de cohorte histórico que incluyó 170 recién nacidos en la institución donde el estudio con edad gestacional menor de 37 semanas, que fueron hospitalizados en la UCIN y sobrevivieron hospitalización. Los datos relativos a las condiciones perinatales y hospitalización del parto se obtuvieron de los registros. La información sobre las medidas de resultado (muerte, reingreso y marcadores del desarrollo motor en el primer año) se obtuvieron a través de una entrevista telefónica con el cuidador. Los resultados se evaluaron tanto la edad cronológica, la edad corregida. El Comité de Ética en Investigación y dieron su consentimiento al estudio. Ninguno de los bebés murió y 39,4% eran readmisiones, especialmente para enfermedades respiratorias (26,5%). Más del 90% de los participantes mostró marcadores del desarrollo motor en la edad apropiada ajustado por la prematuridad (edad corregida), este resultado es menos frecuente cuando la adopción de la edad cronológica. Llegamos a la conclusión de que los bebés prematuros que requieren ingreso en la UCIN y ha sobrevivir hospital, aunque muchos demanda que al menos una hospitalización durante el primer año de vida. Cuando la evaluación de los marcadores de desarrollo motor de estos bebés, es necesario corregir la edad cronológica con la prematuridad, la adopción de la edad corregida.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/73028
Arquivos Descrição Formato
000891230.pdf (1.190Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.