Repositório Digital

A- A A+

Entre risco e proteção : ajustamento psicossocial de adolescentes em acolhimento institucional

.

Entre risco e proteção : ajustamento psicossocial de adolescentes em acolhimento institucional

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Entre risco e proteção : ajustamento psicossocial de adolescentes em acolhimento institucional
Autor Abaid, Josiane Lieberknecht Wathier
Orientador Dell'Aglio, Debora Dalbosco
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.
Assunto Acolhimento
Adolescente
Ajustamento (Psicologia)
Fatores de proteção
Fatores de risco
Institucionalização
[en] Adolescents
[en] Protective factors
[en] Residential care
[en] Risk factors
Resumo Esta tese investigou fatores de risco e proteção ao desenvolvimento de adolescentes em medida de proteção de acolhimento institucional, através de três estudos. No primeiro estudo, verificouse a exposição a fatores de risco entre 113 adolescentes, por meio de um questionário. Além do excessivo tempo de institucionalização, foram identificados fatores de risco ao desenvolvimento como repetência escolar e exposição à violência intra e extrafamiliar. No segundo estudo, foram investigados, de forma transversal, indicadores de ajustamento psicossocial entre os adolescentes. Através de escores das variáveis autoestima, expectativa de futuro, repetência, comportamento infrator, uso de drogas e tentativas de suicídio, compôs-se um Índice de Ajustamento Psicossocial. Foi observado que o número de eventos estressores, a faixa etária e a exposição à violência extrafamiliar estavam independentemente associadas ao ajustamento psicossocial, tendo explicado 48% da variância do índice. No terceiro estudo, longitudinal, analisou-se o ajustamento psicossocial de 69 adolescentes acolhidos institucionalmente, comparando-se a estabilidade das variáveis em dois tempos, T1 e T2. Além disso, buscou-se identificar preditores do ajustamento psicossocial em T2. O modelo com maior poder explicativo (46,3%) para o ajustamento psicossocial em T2 envolveu o ajustamento em T1 e o apoio familiar. A convivência entre irmãos na mesma instituição revelou-se estatisticamente significativa para um melhor ajustamento psicossocial em T2, o que reforça a necessidade de preservar os laços familiares. Os resultados dos três estudos demonstram a necessidade de ações mesossistêmicas de políticas públicas, a fim de que a convivência familiar e comunitária seja incentivada, o que pode trazer impacto no ajustamento psicossocial dos adolescentes, além de auxiliar na tomada de decisão de cuidadores e operadores do direito.
Abstract This work investigated risk and protection factors regarding adolescent development in the context of residential care through three studies. In the first study, the exposure to risk factors among 113 adolescents was verified using a questionnaire. Besides the excessive institutionalization period, other risk factors to development found were school failure and exposure to intra- and extra-familial violence. In the second study, indicators of psychosocial adjustment among adolescents were investigated, in a cross-sectional design. A Psychosocial Adjustment Index was proposed through scores of the variables self-esteem, future expectation, school failure, antisocial behavior, drug use and suicide attempt. The number of stressor events, age range and exposure to extra-familial violence were independently associated to psychosocial adjustment, explaining 48% of the variance of such index. In the third study, characterized as longitudinal, psychosocial adjustment of 69 adolescents in residential care was analyzed, comparing variables stability at time 1 (T1) and time 2 (T2). Moreover, predictors of psychosocial adjustment were identified at T2. The model with greater explanation power (46.3%)concerning psychosocial adjustment at T2 involved adjustment at T1 and family support. Living with siblings in the same institution revealed to be statistically significant regarding improved psychosocial adjustment at T2, highlighting the need to preserve family bonds. Results of the three studies demonstrate the need of mesosystemic actions as concerns public policies, so that family and community living may be encouraged, possibly causing an impact in the psychosocial adjustment of adolescents, and supporting the caregivers' and law professionals' decision-making process.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/76529
Arquivos Descrição Formato
000891460.pdf (7.933Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.