Repositório Digital

A- A A+

Saber e objeto no discurso capitalista

.

Saber e objeto no discurso capitalista

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Saber e objeto no discurso capitalista
Autor Sgarioni, Matheus Minella
Orientador D'Agord, Marta Regina de Leao
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Capitalismo
Discurso
Psicologia social
[en] Capitalist discourse
[en] Consumption
[en] Invention
[en] Jouissance
Resumo Este trabalho parte da interrogação acerca do funcionamento discursivo contemporâneo e de suas implicações nos fenômenos clínicos atuais. As novas formas de nomeação e de produção de saberes são problematizadas a partir da teoria dos discursos de Jacques Lacan, a fim de traçar as particularidades referentes à instauração do “discurso capitalista” ou “discurso do Mestre moderno”. Iniciamos o trabalho com a tentativa de identificar a incidência de mecanismos de subjetivação atuantes na contemporaneidade. Em diálogo com alguns autores que trabalham esta temática, foi possível identificar um funcionamento próprio ao sujeito contemporâneo, cuja característica é o envolvimento na dinâmica que os objetos apresentam em nossa sociedade. Se a psicanálise procura escutar o desejo que se articula através do significante, perguntamos: é possível realizar uma leitura que leva em consideração o endereçamento que os sujeitos mantêm com o mercado de objetos de consumo? Na medida em que acreditamos que o objeto pode velar o movimento desejante, e que, nos dias de hoje, o objeto torna-se objeto de consumo, assumindo lugar privilegiado na busca por gozo e por filiação, percorremos o arcabouço teórico psicanalítico numa tentativa de situar a produção de diferença que se faz possível no atual panorama discursivo. Há espaço para a invenção no atual regime de incitação ao gozo pelo consumo? Neste sentido, encontramos na arte e na psicanálise o que parece contribuir para que vislumbremos alternativas ao sujeito que se encontra na clausura dos signos que o petrificam perante o Outro.
Abstract This research starts from questions about the contemporary discoursive functioning and it’s implications on nowadays clinical phenomenons. The new ways of knowledge naming and producting are problematized using Jacques Lacan’s discourses theory, in order to set the particularities surrounding the “capitalist discourse” or the “modern Master discourse” introduction. We start this writing trying to identify the incidence of subjectivation mechanisms that act in contemporaneity. On a dialogue with some authors that worked on this task, we started a search for the contemporary subject by the functioning attached to the dynamics presented by the objetcs on our society. If Psychoanalysis intends to listen desire articulated trough the significant, we ask: is it possible to perform a reading that considers the adressing that the subjects keep with consumption objects? Since we believe the object can obliterate desire’s movement, and that, nowadays, the object has become the consumption object, assuming privileged position on the seek for jouissance and filiation, we searched on psychoanalytic theory for trying to establish the production of a possible difference on the current discoursive panorama. Is there room for invention on the current jouissance incitating performed by consumption? In this way, we have found on art and psychoanalysis what seems to contribute on alternative ways to the subject that find himself petrified under the prision of signs of the Other.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/76530
Arquivos Descrição Formato
000884694.pdf (877.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.