Repositório Digital

A- A A+

Virulência, atividade enzimática e padrões de isoesterases de isolados de Pyrenophora chaetomioides, agente etiológico da mancha de grãos e folhas de aveia

.

Virulência, atividade enzimática e padrões de isoesterases de isolados de Pyrenophora chaetomioides, agente etiológico da mancha de grãos e folhas de aveia

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Virulência, atividade enzimática e padrões de isoesterases de isolados de Pyrenophora chaetomioides, agente etiológico da mancha de grãos e folhas de aveia
Outro título Virulence, enzymatic activity and isoesterase patterns of isolates of Pyrenophora chaetomioides, causal agent of the oat leaf and kernel spot
Autor Bocchese, Carla Azambuja Centeno
Martinelli, Jose Antonio
Matsumura, Aida Terezinha Santos
Federizzi, Luiz Carlos
Prestes, Ariano Moraes
Resumo A complexidade da população de Pyrenophora chaetomioides, principal agente causal da mancha da folha e do grão de aveia (Avena sativa) no Sul do Brasil, é pouco conhecida. Deste modo, estudos envolvendo a variabilidade da população do patógeno embasarão o desenvolvimento de variedades resistentes. Para a realização deste trabalho, foram selecionados oito isolados de P. chaetomioides a partir de sementes de aveia dos três estados do sul do Brasil. Para testar a virulência, os isolados foram inoculados em seis variedades de aveia, avaliando-se a severidade e o tipo de lesão. Todas as variedades de aveia testadas foram suscetíveis aos isolados, embora variações na intensidade de doença tenham sido observadas. Os isolados foram avaliados quanto às suas características amilolíticas, proteolíticas e lipolíticas, utilizando-se meios sólidos para análise destes complexos enzimáticos. O estudo da caracterização enzimática dos isolados revelou a associação de uma alta atividade enzimática com os isolados mais virulentos. Já a análise dos padrões isoenzimáticos de a e b esterases mostrou alta variabilidade entre os isolados com sete perfis distintos identificados mas sem relação com a virulência em plântulas de aveia.
Abstract The complexity of the population of Pyrenophora chaetomioides, the major causal agent of the oat (Avena sativa) leaf and kernel spot, is not well known in south Brazil. Therefore, studies on population diversity are useful to the breeding programs aimed at obtaining genetic resistance. In this work, eight isolates were selected from oat seeds harvested in the three southern Brazilian States. In order to test their virulence, the isolates were inoculated on six oat varieties and evaluated for disease severity and lesion type. All cultivars were susceptible to the isolates tested although variation in disease intensity among them was noticed. In another study, the isolates were evaluated in relation to their amilolytic, proteolytic and lipolytic activities on enzyme-specific media. Results from the inoculations on six oat cultivars showed a correlation between higher enzymatic activity and virulence of the isolates. Also, their a and b esterase patterns were compared by polyacrylamide gel electrophoresis. Seven distinct isoenzymatic patterns of a and b esterase were observed among the isolates, although they were not correlated with virulence on oat seedlings.
Contido em Fitopatologia brasileira. Brasília. Vol. 28, n. 1 (jan./fev. 2003), p. 11-16
Assunto Aveia
Brasil, Região Sul
Doença de planta
Enzima
Helmintosporiose
Isoenzima
Mancha do grão
Mancha foliar
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/77111
Arquivos Descrição Formato
000359442.pdf (169.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.