Repositório Digital

A- A A+

Aspectos nutricionais e metabólicos na tensão pré-menstrual

.

Aspectos nutricionais e metabólicos na tensão pré-menstrual

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aspectos nutricionais e metabólicos na tensão pré-menstrual
Autor López, Lucia Mendéz
Orientador Moulin, Cileide Cunha
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Ciclo menstrual
Grelina
Hábitos alimentares
Síndrome pré-menstrual
Resumo A Tensão Pré-Menstrual (TPM) é uma condição comum caracterizada por sintomas físicos e comportamentais que ocorrem durante a fase lútea do ciclo menstrual. Os efeitos do ciclo menstrual no estado emocional e função cognitiva são longamente conhecidos, sendo a tensão pré-menstrual (TPM) uma condição comum caracterizada pela exacerbação dos sintomas físicos e comportamentais durante a fase lútea do ciclo menstrual, que ocorre em algumas mulheres. Dentre estes se destacam os efeitos sobre o comportamento alimentar atípico que ocorre durante esta fase. Esta revisão teve por objetivos 1) Esclarecer os possíveis mecanismos metabólicos envolvidos nas alterações da ingestão alimentar na Tensão Pré-Menstrual; 2) Verificar a possível participação de peptídeos controladores do balanço energético com atuação no eixo Hipotalâmico-Hipofisário-Gonadal nas alterações alimentares na Tensão Pré-Menstrual; 3) Verificar os nutrientes na etiologia dos sintomas da Tensão Pré-Menstrual. Na fase lútea o aumento da progesterona em associação com outros hormônios (tireodianos, opióides, cortisol) leva a um acréscimo da ingestão alimentar em relação à fase folicular do ciclo. Nesta fase há um decréscimo tanto dos estrogênios como da atividade serotoninérgica o que provoca uma procura maior por alimentos ricos em carboidratos, contenedores de trptofano, o qual atua como precursor da serotonina. Ocorre, também, aumento pela procura de alimentos ricos em lipídeos, devido ao decréscimo dos triglicerídios plasmtáticos nesta fase, ou seja, alimentos que contenham os dois nutrientes associados são os mais consumidos por serem considerados mais palatáveis e provocarem sensações de prazer que aliviam os sintomas da TPM. Diversos nutrientes (vitaminas e minerais) têm sido associados aos sintomas da TPM e a suplementação dos mesmos é utilizada no tratamento dos sintomas. Além dos nutrientes, existem outras formas de tratamento, como a reposição de drogas, reposição hormonal e tratamento cirúrgico. A participação de peptídeos reguladores do balanço energético, como grelina e leptina na TPM, ainda não é conhecida. No entanto, sabe-se que a grelina atua como sinalizador orexígeno, provocando aumento da ingestão alimentar quando os estoques de energia encontram-se em níveis menores no organismo. Existem receptores para grelina e leptina em órgãos do tecido reprodutor, indicando que estes peptídeos desempenham algum papel modulador da função reprodutiva.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/77278
Arquivos Descrição Formato
000896340.pdf (539.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.