Repositório Digital

A- A A+

Implantação de medição individualizada de água quente em prédios : comparação entre os sistemas

.

Implantação de medição individualizada de água quente em prédios : comparação entre os sistemas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Implantação de medição individualizada de água quente em prédios : comparação entre os sistemas
Autor Ferraro, Francesco Antonello
Orientador Bravo, Juan Martín
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Este trabalho versa sobre a comparação, quanto aos aspectos de instalação, funcionamento e consumo, entre as opções de projeto hidráulicos que visam a economia de água através do processo de individualização da medição de água fria e quente. Partindo de uma tipologia de edificação usual na cidade de Porto Alegre, formada por um pavimento térreo (pilotis), e sete pavimentos tipo, foram elaborados três projetos, seguindo a NBR 5626/1998 e NBR 7198/1993, que usam aquecedores de passagem e de acumulação, nesse caso foi avaliado uma variação que impõe a recirculação de água até o ramal interno das unidades habitacionais, como solução técnica para o aquecimento de sistemas que comtemplam a medição individualizada. A partir das informações obtidas pelo dimensionamento dos projetos hidráulicos elaborados para os diferentes sistemas de aquecimento, comparou-se os resultados de implantação, funcionamento e consumo das variações de projeto adotadas. Quanto à implantação, o levantamento demonstrou que a instalação predial com aquecedor individual, opção menos complexa, é quase tão cara quanto a opção com aquecedor com coletiva com recirculação de ramal, opção de maior complexidade e elevado comprimento de tubulação. Tal fato se deve à necessidade da aquisição de um aquecedor de passagem para cada unidade, enquanto nos outros casos um único aquecedor é responsável por abastecer toda a demanda condominial. Quanto ao funcionamento, ficou demonstrada a grande eficiência dos aquecedores de passagem em comparação aos de uso coletivo, que por terem que manter um grande volume de água aquecida durante todo o tempo, demandam um maior consumo energético. Quanto ao consumo de água, os resultados permitiram identificar o tempo de espera até o aquecimento satisfatório da água em cada variação do sistema: usando aquecedor de passagem o tempo foi de 13.83s, já com aquecedor coletivo 18.83s e da variação com recirculação de ramal ficou em 2.21s. Esse tempo também expressa o nível de serviço das opções de projeto e através da mesma análise pode atestar um desperdício de água diário de 3.7m3, 4.7 m3 e 0.5 m3 de água respectivamente.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/78230
Arquivos Descrição Formato
000896724.pdf (3.300Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.