Repositório Digital

A- A A+

Puncionamento : verificação da espessura das lajes sem vigas para dispensa da armadura de cisalhamento em função da geometria das estruturas estudadas

.

Puncionamento : verificação da espessura das lajes sem vigas para dispensa da armadura de cisalhamento em função da geometria das estruturas estudadas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Puncionamento : verificação da espessura das lajes sem vigas para dispensa da armadura de cisalhamento em função da geometria das estruturas estudadas
Autor Moraes, Rafael Rizzatti de
Orientador Bessa, Virgínia Maria Rosito d'Avila
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Atualmente, o crescente uso de lajes sem vigas justifica um maior cuidado quanto à verificação da resistência à punção. Tendo isso em vista, este trabalho versa sobre a análise da punção para o estabelecimento de uma espessura de laje necessária para que o uso de armadura de cisalhamento seja dispensado em cada solução construtiva proposta, bem como a observação da influência das variáveis geométricas nesta espessura. A partir da revisão da literatura, inicialmente são explicadas peculiaridades dos sistemas estruturais sem vigas, como a análise estrutural diferenciada e eventuais vantagens e desvantagens apresentadas por eles. Posteriormente, abordando o foco do trabalho, são expostas as principais características do fenômeno de punção, como sua fissuração e formação da superfície de ruína. São também apresentadas as diferentes configurações de armadura de cisalhamento e sua aplicabilidade. Também são identificados os principais parâmetros envolvidos na resistência ao puncionamento. Para o dimensionamento de lajes à punção, são apresentadas as considerações feitas para o projeto de lajes sem vigas de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas, como o procedimento para a análise estrutural pelo método dos pórticos equivalentes e a verificação da resistência à punção pelo método da superfície de controle. Posteriormente, tais métodos são aplicados nas estruturas propostas à fim de se obter uma espessura mínima necessária para que o uso de armadura de cisalhamento seja dispensado, já que este é o critério de projeto adotado. Ao longo do trabalho, são dispostos gráficos com resultados obtidos, relacionando-os com a variação geométrica de cada pavimento estudado. Com isso, conclui-se que, para as condições analisadas neste estudo, parte das estruturas analisadas demanda uma espessura de laje inviável, que descaracterizam as principais vantagens deste sistema estrutural. Com o aumento da espessura, tanto a tensão resistente quanto a tensão solicitante diminuem potencialmente. Ainda, a espessura mínima necessária tem uma relação linear com o aumento do vão das lajes e com o aumento da seção dos pilares. A relação entre os lados dos pilares com os vãos das lajes não influencia na determinação desta espessura. Também foi observada uma relação aproximadamente linear da área do pavimento com a espessura necessária, para cada série de pilares estudados. Os gráficos elaborados permitem a extrapolação e a interpolação das linhas de tendência, possibilitando a obtenção das espessuras para casos de lajes com dimensões diferentes das estudadas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/78291
Arquivos Descrição Formato
000896998.pdf (8.008Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.